Finanças

Bolsas de NY monitoram comércio e fecham sem direção única

Os mercados acionários americanos encerraram o pregão desta segunda-feira, 10, sem direção única, com os investidores monitorando as disputas comerciais entre Estados Unidos e China.

O índice Dow Jones fechou em queda de 0,23%, aos 25.857,07 pontos; o S&P 500 subiu 0,19%, aos 2.877,13 pontos; e o Nasdaq avançou 0,27%, para 7.924,16 pontos.

A mais recente investida do presidente americano, Donald Trump, contra a China, propondo tarifas a mais produtos do país asiático importados pelos americanos, continuou a pesar nos mercados de ações nova-iorquinos em um dia sem indicadores relevantes sobre a economia americana. A ação da Boeing, que seria bastante suscetível a uma guerra comercial total entre os dois países, caiu 2,12% e a da Apple perdeu 1,34%, após ter revelado que tarifas em alguns produtos chineses poderiam afetar alguns de seus produtos.

Enquanto isso, o setor de defesa foi atingido negativamente à medida que os papéis da Lockheed Martin (-1,70%) e da Raytheon (-0,60%) apresentaram perdas com o abrandamento de possíveis novas tensões com a Coreia do Norte, após Kim Jong-un ter enviado uma carta à Casa Branca pedindo por uma nova reunião com Trump.

Já as ações da Nike fecharam em alta de 2,24%, a US$ 82,10, após as vendas online da empresa terem crescido 31% do domingo do fim de semana do feriado do Dia do Trabalho nos EUA até a última terça-feira, em comparação com um ganho de 17% registrado no mesmo período de 2017. O movimento gerou boa recepção por parte dos investidores, já que a Nike colocou o ex-jogador da NFL Colin Kaepernick em uma campanha, sendo criticada por Trump, já que o jogador era um dos que se ajoelhavam durante o Hino Nacional americano nas partidas do torneio. Fonte: Dow Jones Newswires.