Finanças

Bolsas de NY fecham em alta, com S&P e Nasdaq em novos recordes

Crédito: Reprodução/Nyse

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,30%, em 28.331,92 pontos, o S&P 500 subiu 1,02%, a 3.478,73 pontos, e o Nasdaq avançou 1,73%, a 11.665,06 pontos (Crédito: Reprodução/Nyse)

As bolsas de Nova York abriram sem muito impulso, mas ganharam fôlego à tarde, o que levou os índices S&P 500 e Nasdaq a registrarem novos recordes históricos de fechamento desta quarta-feira, 26. Os setores de serviços de comunicação e tecnologia se destacaram, com investidores ainda apostando nas ações das chamadas giant techs, enquanto o mercado também mantinha expectativa pelo discurso de quinta-feira do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,30%, em 28.331,92 pontos, o S&P 500 subiu 1,02%, a 3.478,73 pontos, e o Nasdaq avançou 1,73%, a 11.665,06 pontos.

+ Bolsa fecha em baixa de 1,46%, aos 100.627,33 pontos, com pressão sobre Guedes
+ Bolsas da Europa fecham em alta, com estímulo da Alemanha e Powell no radar 

Na agenda de indicadores, as encomendas de bens duráveis surpreenderam com alta de 11,2% em julho ante junho, bem acima da previsão de avanço de 5% dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal. O Wells Fargo avaliou o dado como sinal de que o investimento continuou a se recuperar em julho nos EUA.

Nas bolsas, houve expectativa pelo discurso de quinta de Powell. Os investidores acreditam que o presidente do Fed manterá a postura favorável a estímulos, sem pressa de conduzir aperto monetário, o que tende a apoiar o mercado acionário.

Entre os dirigentes, o presidente do Fed de Richmond, Thomas Barkin, comentou o avanço recente das bolsas, atribuindo-o em parte à realocação de recursos do mercado de Treasuries para as bolsas, no atual ambiente de juros baixos, e também citou a força recente do setor de tecnologia. Para Barkin, existe um risco de que as valorizações fiquem elevadas nas bolsas americanas, nesse contexto.

Nesta quarta, as chamadas giant techs voltaram a mostrar fôlego, como tem ocorrido no quadro atual de pandemia, diante da percepção de que elas conseguem resultados fortes mesmo nesse novo ambiente. Facebook subiu 8,22%, Netflix ganhou 11,61%, Apple subiu 1,36% e Microsoft, 2,16%, enquanto Amazon teve alta de 2,85% e Alphabet, de 2,38%. Entre outras ações em foco, Salesforce.com subiu 26,06%, após divulgar balanço bem melhor do que o previsto. O papel passará, a partir da segunda-feira, a integrar o índice Dow Jones.

A alta, porém, não ocorreu em todos os setores, com baixas em energia, sobretudo, e também no financeiro. No caso do primeiro, provocava cautela o risco de estragos do furacão Laura, em sua passagem pelo Golfo do México, região importante para a produção de petróleo nos EUA.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?