Finanças

Bolsas de NY fecham em alta, com recuperação após cautela por covid-19

As bolsas de Nova York fecharam em alta hoje, com o mercado acionário se recuperando das perdas do pregão anterior, quando predominou a aversão a risco. A cautela nos últimos dias foi em grande parte inspirada pela preocupação com a variante delta do coronavírus, o que foi parcialmente amenizado com a notícia de que a Pfizer pedirá autorização para a aplicação de uma terceira dose de sua vacina contra a covid-19 nos Estados Unidos.

Ações ligadas a viagens, como as de companhias aéreas subiram. Outro setor que avançou foi o financeiro, com bancos acompanhando a recuperação nos rendimentos dos Treasuries. Neste cenário, os três principais índices acionários renovaram recordes históricos de fechamento.

O índice Dow Jones avançou 1,30%, a 34.870,16 pontos, o S&P 500 subiu 1,13%, a 4.369,55 pontos, e o Nasdaq teve alta de 0,98%, a 14.701,92 pontos. Na semana, houve avanço de 0,24%, 0,40% e 0,43%, respectivamente.

“Grande parte da fraqueza desta semana nas ações resultou do aumento dos casos de coronavírus em vários países, então as notícias de ontem de que a Pfizer está planejando começar a testar uma injeção de reforço específica para a delta forneceram otimismo para vencer a guerra contra a covid-19”, avalia Edward Moya, analista da Oanda.



A Pfizer pedirá autorização em agosto nos EUA para a aplicação de uma terceira dose de sua vacina. Segundo a farmacêutica, outra injeção do imunizante, meses após as duas primeiras, poderia aumentar “drasticamente” a imunidade e talvez proteger contra novas cepas do coronavírus. Hoje, as ações da empresa tiveram alta de 0,92%.

Com o otimismo, aéreas recuperaram parte das perdas dos últimos dias, e American Airlines (+2,65%), Delta Airlines (+2,02%) e United Airlines (+2,90%) avançaram. Além disso, empresas de hospedagem, como Airbnb (+4,99%) e Booking Holdings (+1,44%) registraram ganhos.

O setor bancário, que foi um dos mais penalizados ontem, liderou os ganhos no S&P 500, com avanço de 2,87%. Wells Fargo(+3,76%), Bank of America (+3,25%), Citigroup (+2,58%), JPMorgan (+3,20%) tiveram avanços.

O presidente dos EUA, Joe Biden, assinou nesta sexta-feira um decreto que, segundo a Casa Branca, tem o objetivo de aumentar a competição entre as empresas do país. Durante um discurso, o democrata afirmou que a medida fortalecerá as leis antitruste americanas e disse que há “muita concentração” no setor das chamadas “big techs”. Ainda assim, o setor contou com altas importantes, como Facebook (+1,38%) e Apple (+1,31%).

Outra recuperação importante foi no setor de energia, com petroleiras acompanhando a alta do barril, impulsionada pela desvalorização do dólar. Chevron (+1,43%) e ExxonMobil (+1,81%) avançaram. Por outro lado, as ações da Biogen recuaram 2,95%, em sessão que contou com a notícia de que seu polêmico medicamento contra Alzheimer terá um custo maior do que anteriormente havia sido anunciado.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago