Finanças

Bolsas de NY fecham em alta, com balanços e de olho em dirigentes do Fed

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta terça-feira, impulsionadas pela temporada de balanços corporativos nos Estados Unidos. Nesta terça-feira, Johnson & Johnson e Procter & Gamble reportaram resultados melhores que o estimado pelo mercado, aumentando a lista de empresas que superaram as expectativas no último trimestre.



O índice Dow Jones avançou 0,56%, aos 35.457,31 pontos, o S&P 500 subiu 0,74%, aos 4.519,63 pontos, e o Nasdaq acumulou ganhos de 0,71%, aos 15.129,09 pontos.

A ação da Johnson & Johnson foi um dos destaques positivos da bolsa nova-iorquina nesta terça, com alta de 2,40% após a empresa reportar lucro líquido melhor que o esperado e registrar alta nas vendas totais de mais de US$ 2 bilhões em relação ao resultado do mesmo período de 2020.

Já a ação da Procter & Gamble recuou 1,13%. Apesar do balanço do primeiro trimestre da companhia (terminado em setembro) também ter superado o consenso de analistas, ela informou que vai elevar os preços de uma série de itens de uso doméstico, uma vez que os custos de frete e de matérias primas vêm subindo mais do que o previsto. Antes de publicarem seus resultados trimestrais, a ação da Netflix fechou em alta modesta de 0,16%, enquanto a da United Airlines cedeu 2,01%.

Para o gerente de portfólio da casa de investimentos Villere & Co., Lamar Villere, uma série de balanços fortes ajudaram a acalmar os medos de investidores quando às fortes leituras de inflação recentes nos EUA. “Eu não diria que a névoa foi dissipada ou o medo se foi, mas pelo menos você tem alguns dados razoavelmente positivos”, disse ele.



Membro da cúpula do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Christopher Waller, no entanto, disse estar “muito preocupado” com a possibilidade de que a inflação no país não tenha caráter transitório, e por isso disse cogitar a possibilidade da entidade elevar as taxas de juros para responder à uma contínua alta nos preços. Em comentário similar, Michelle Bowman afirmou acreditar que a escalada recente da inflação nos EUA deve se estender por um período mais longo do que o previsto originalmente.

Entre outros dirigentes do Fed, o presidente da distrital de Richmond, Thomas Barkin, disse que a escassez de oferta que afeta o mercado de trabalho americano pode se estender para além da pandemia. O chefe do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, adotou visão contrário, ao afirmar que espera melhora no emprego com o término da crise sanitária.

Entre setores específicos, o de energia esteve entre os maiores ganhadores das bolsas de Nova York nesta terça, após o petróleo firmar alta no mercado futuro e estender seu rali que já dura várias semanas. A Chevron fechou com avanço de 1,92%, enquanto a ExxonMobil subiu 1,52%.

*Com informações de Dow Jones Newswires


Veja também
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Motorista deixa carro Tesla no piloto automático e dorme em rodovia de SP
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Lago Superior: a melhor onda de água doce do mundo?