Finanças

Bolsas da Europa sobem com investidor de olho em decisões de política monetária

Os mercados acionários europeus encerraram o pregão desta quinta-feira em alta, com investidores de olho nas mais recentes decisões de política monetária de importantes bancos centrais do mundo. Embora nem todos tenham seguido o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) e cortado juros, autoridades monetárias como o Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) e o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) salientaram preocupações com a situação da economia, abrindo espaço para futuros afrouxamentos. Nesse contexto, o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,59%, aos 392,00 pontos.

Agentes do mercado digerem as decisões de política monetária tomadas nas últimas 24 horas. O Fed cortou sua taxa de juros em 25 pontos-base, levando-a para a faixa de 1,75% a 2,00%, confirmando expectativas e anseios de investidores. Contudo, a instituição mostra-se dividida em relação a cortes futuros.

Situação diferente foi vista nas decisões do BoJ e do BoE. Tais BCs optaram por não relaxar suas políticas monetárias, mas sinalizaram preocupações com o crescimento da economia e, no caso da Inglaterra, com o Brexit. “Se me perguntarem se estou mais positivo sobre relaxamento adicional em comparação à reunião anterior, minha resposta é sim”, declarou o presidente do BoJ, Haruhiko Kuroda, sinalizando que cortes de juros podem vir a ser aplicados no futuro e dando ânimo ao mercado de ações.

O JPMorgan analisou o tom da decisão de política monetária do BC da Inglaterra. “Parece que o BoE está se preparando para uma nova mudança mais dovish em novembro, que abriria a porta para uma possível flexibilização nos próximos seis meses”, diz a instituição, em relatório divulgado a clientes.

Na seara de indicadores, o Reino Unido divulgou que as vendas no varejo do país caíram 0,2% em agosto ante julho, mas avançaram 2,7% na comparação anual. Em Londres, o índice FTSE 100 fechou o dia em alta de 0,58%, aos 7.356,42 pontos, com alta de 0,35% nos papéis da British Petroleum, impulsionados pela alta do petróleo. Por lá, segue o impasse sobre a saída da União Europeia, embora o ministro do Brexit, Steve Barclays, tenha dito que há tempo suficiente para uma acordo com o bloco.

Entre as petrolíferas, a Total subiu 0,30% na bolsa de Paris, onde o índice CAC 40 avançou 0,68%, para 5.659,08 pontos.

Na principal economia da zona do euro, o índice DAX, da bolsa de Frankfurt, se fortaleceu 0,55%, para 12.457,70 pontos. Já em Milão, o índice FTSE MIB ganhou 0,82%, para 22.128,24 pontos, com alta de 4,37% do Bper Banca.

O índice Ibex 35, da bolsa de Madri, subiu 1,15%, para 9.136,00 pontos, enquanto o índice PSI 20, da bolsa de Lisboa, fechou o dia em alta de 0,97%, para 5.039,92 pontos, a máxima do dia.