Finanças

Bolsas da Europa operam em baixa, com setores químico e bancário sob pressão

As bolsas europeias operam em queda nesta terça-feira, após uma sessão em geral negativa nas praças da Ásia. O setor químico estava sob pressão no continente europeu, depois de um alerta de resultados emitido pela Basf, e também ações de bancos, em nova sessão ruim para o Deutsche Bank. Outro setor que mostrava resultado fraco era o de montadoras.

Às 8h15 (de Brasília), o índice pan-europeu Stoxx 600 operava em baixa de 0,55%, em 387,76 pontos.

Depois do fechamento de ontem, a Basf emitiu um duro alerta sobre seus lucros futuros, o que influencia hoje papéis do setor químico em geral. A companhia espera lucro antes de juros e impostos em cerca de 500 milhões de euros (US$ 560,9 milhões) no segundo trimestre, mais de 60% abaixo da expectativa do mercado, segundo a Baader Helvea. A ação da empresa alemã recuava 5,3% em Frankfurt. Outros papéis ligados à indústria química também caíam mais de 5%, como Covestro e Wacker Chemie. Alguns analistas haviam questionado a capacidade de a Basf cumprir sua ambiciosa meta anterior, mas a escala do alerta de ontem surpreendeu negativamente.

O setor bancário também continua no radar. Deutsche Bank registrava baixa de 4,02% em Frankfurt, mesmo após cair 5,39% na segunda-feira. No fim de semana, o banco alemão informou que fará uma grande reestruturação, que incluirá o corte de 18 mil postos, com redução significativa no banco de investimentos e corte de um quarto nos custos. O papel do Danske Bank, por sua vez, caía 3,41% na Bolsa de Copenhague, pressionada por um escândalo de lavagem de dinheiro que atinge a companhia e também por um alerta sobre o lucro emitido na segunda-feira.

Ainda entre os bancos, Société Générale caía 1,31% em Paris, Intesa Sanpaolo recuava 0,87% em Milão e BBVA caía 0,93% em Madri. Barclays registrava queda de 0,33% em Londres. Ainda em Londres, a mineradora Antofagasta tinha baixa de 2,77%, em manhã de quedas para o cobre, enquanto BHP perdia 0,42%.

Entre as companhias do setor de automóveis, Volkswagen recuava 0,89% em Frankfurt, após a notícia de que a montadora teria retardado uma investigação federal nos EUA sobre eventuais irregularidades com investidores de bônus que não foram informados sobre os esforços para trapacear em testes de emissão de poluentes em veículos a diesel. Fiat caía 0,78% em Milão, Peugeot mostrava baixa de 2,94% em Paris e BMW cedia 1,12% em Frankfurt, entre outras ações do setor.

Por outro lado, Ocado subia 5,3% em Londres, após investidores ficarem mais otimistas sobre o grupo britânico de supermercado online, após seu balanço.

Há nesta terça-feira expectativa por declarações de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), entre eles o presidente da instituição, Jerome Powell, que faz discurso às 9h45. (de Brasília). Os dirigentes podem dar novas pistas sobre a trajetória de juros nos Estados Unidos, com investidores pelo mundo apostando em cortes na taxa mais adiante neste ano.

Às 8h18 (de Brasília), a Bolsa de Londres caía 0,02%, Frankfurt recuava 0,92% e Paris tinha baixa de 0,30%. Milão cedia 0,07%, Madri perdia 0,24% e Lisboa, 0,40%. No câmbio, o euro caía a US$ 1,1201, de US$ 1,1212 no fim da tarde de ontem, e a libra tinha baixa a US$ 1,2456, de US$ 1,2511.

Tópicos

bolsas Europa manhã