Finanças

Bolsas da Europa fecham em alta, com menor cautela sobre China

As bolsas europeias fecharam em alta nesta quarta-feira, 22, com investidores mostrando menos cautela com a endividada incorporadora chinesa Evergrande. Na agenda de indicadores, um dado da confiança na zona do euro veio melhor que o esperado, enquanto declarações do Banco Central Europeu (BCE) foram monitoradas.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou com ganho de 0,99%, em 463,20 pontos.

Em dia de expectativa pela decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), houve menor cautela com o quadro na China. Em meio a injeções de liquidez por autoridades locais, surgiu a notícia de que a Evergrande pode acabar por ser estatizada. Além disso, uma das unidades da empresa, a Hengda Real Estate Group, prometeu pagar no prazo juros de uma emissão de títulos que vencem na quinta-feira.

Na agenda de indicadores, a Comissão Europeia informou que o índice de confiança do consumidor da zona do euro avançou de -5,3 em agosto a -4,0 na preliminar de setembro. O resultado contrariou a previsão de queda de -6,0 dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal.



Já entre os dirigentes do BCE, Madis Müller afirmou que o banco central discutirá a eventual elevação em suas compras de ativos regulares (APP, na sigla em inglês) após o fim do esquema emergencial de compras de bônus na pandemia (PEPP, na sigla em inglês).

Ele foi ao Twitter posteriormente, porém, para dizer que o assunto deve ser discutido, mas também mostrar certa reticência sobre essa estratégia, argumentando que as condições financeiras são favoráveis e há uma “recuperação sólida” na zona do euro.

A Pantheon comenta que os mercados mostraram preocupação com o caso da Evergrande em dias recentes, mas considera que o contágio do episódio até agora é limitado. A consultoria diz ainda, em relatório a clientes, que o dado de confiança sugere que o consumo na zona do euro tenha acelerado no trimestre atual.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 fechou em alta de 1,47%, em 7.083,37 pontos. Lloyds esteve entre os destaques, em alta de 3,54%.

Em Frankfurt, o índice DAX subiu 1,03%, para 15.506,74 pontos. Deutsche Lufthansa foi o papel mais negociado, em alta de 3,70%, enquanto Deutsche Bank subiu 3,86%.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 avançou 1,29%, a 6.637,00 pontos.

O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, fechou na máxima do dia, em alta de 1,44%, em 25.717,46 pontos. No setor de energia, Eni ganhou 2,64%.

Em Madri, o índice IBEX 35 avançou 0,60%, a 8.808,40 pontos, com Santander em alta de 3,24%.

Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI 20 subiu 2,22%, a 5.388,03 pontos.

Veja também
+ Como podcasts podem ajudar na educação financeira do brasileiro
+ Mistério: mulher descobre que não é a mãe biológica de seus próprios filhos
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km