Finanças

Bolsas da Europa fecham em alta com confirmação de Biden nos EUA

Crédito: Pexels

Já em Londres, o FTSE 100 teve alta mais modesta, de 0,22%, a 6.856,96 pontos; O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou com ganhos de 0,51%, a 408,49 pontos. (Crédito: Pexels)

Os índices acionários das principais bolsas europeias fecharam em alta nesta quinta-feira, 7, após o Congresso dos Estados Unidos oficializar a eleição de Joe Biden à Casa Branca. Depois de uma abertura mista, os mercados na Europa acompanharam o otimismo de Nova York, à espera de uma possível ampliação dos estímulos fiscais nos EUA, algo que faz parte da agenda do democrata eleito.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou com ganhos de 0,51%, a 408,49 pontos.

+ Expectativa de mais estímulos e crescimento nos EUA alivia mercados, diz analista

Em Frankfurt, o índice Dax encerrou em alta de 0,55%, a 13.968,24 pontos, impulsionado por ações de empresas do setor farmacêutico como a Covestro (2,96%) e a Bayer (2,00%), esta última beneficiada pela assinatura de um acordo de cooperação com a CureVac para auxiliar a empresa na produção e distribuição de sua vacina contra a covid-19.

Já em Londres, o FTSE 100 teve alta mais modesta, de 0,22%, a 6.856,96 pontos. O destaque positivo desta quinta da bolsa britânica ficou por conta da rede de supermercados Sainsbury’s, que avançou 7,48%.

Enquanto isso, o CAC 40, de Paris, subiu 0,70%, a 5.669,85, beneficiado por ações de empresas do setor automotivo como Peugeot, com alta de 2,08%, e Renault, que teve a segunda maior alta diária do índice ao avançar 4,54%.

Além da vitória de Biden, também dá sustentação à perspectiva de mais estímulos fiscais nos EUA a eleição de dois senadores democratas pela Geórgia na quarta. Com o resultado, a Casa passará a ser controlada pelo partido de Joe Biden. O líder democrata no Senado, Chuck Schumer, afirmou que aumentar as quantias dos cheques individuais previstos no pacote fiscal será uma de suas prioridades em 2021.

O otimismo com o cenário político dos EUA superou uma possível cautela diante do avanço da covid-19 em diversas partes do mundo. Segundo contagem da agência de notícias Reuters, a Europa ultrapassou nesta quinta a marca de 25 milhões de infecções por coronavírus. Enquanto isso, na Ásia, China e Japão – países que concentram os principais mercado do continente – anunciaram novos bloqueios regionais para frear o alastramento da doença.

Na menor alta do dia, o índice FTSE MIB da Bolsa de Milão avançou 0,05%, a 22.746,08 pontos.

Em contraste, o índice PSI 20 de Lisboa teve a maior alta desta quinta, de 2,20%, a 5.282,02 pontos.

Por fim, o Ibex 35, de Madri, se recuperou de baixa mais cedo e terminou as negociações com valorização de 0,43%, a 8.395,20 pontos, com apoio de ações do setor bancário, como a do Banco de Sabadell (6,31%), e de papéis do setor de energia renovável, com destaques para a Solaria Energia (9,56%) e Siemens Gamesa (6,30%).

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel