Finanças

Bolsas da Ásia fecham em alta, seguindo NY, após Fed prometer manter estímulos

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta quinta-feira, seguindo o bom desempenho de Wall Street, após o presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, dizer que o banco central dos EUA não tem pressa de retirar estímulos à maior economia do mundo.

O índice acionário japonês Nikkei subiu 1,67% em Tóquio hoje, a 30.168,27 pontos, enquanto o Hang Seng avançou 1,20% em Hong Kong, a 30.074,17 pontos, o sul-coreano Kospi saltou 3,50% em Seul, a 3.099,69 pontos, e o Taiex registrou ganho de 1,48% em Taiwan, a 16.452,18 pontos.

Ontem, o Dow Jones encerrou o pregão em Nova York em nova máxima histórica e outros índices acionários de Wall Street avançaram após Powell dizer, em seu segundo dia de testemunhos no Congresso americano, que não vê sinais de que inflação dos EUA possa se descontrolar. O comentário ajudou a atenuar temores, provocados por um recente aumento nos retornos dos Treasuries, de que crescentes pressões inflacionárias poderiam levar o Fed – como o BC dos EUA é conhecido – a elevar juros.

Na China continental, o Xangai Composto terminou os negócios desta quinta em alta de 0,59%, a 3.585,05 pontos, mas o menos abrangente Shenzhen Composto contrariou o viés positivo na Ásia e recuou 0,51%, a 2.335,40 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana foi na esteira de Nova York e das asiáticas, e o S&P/ASX 200 avançou 0,83% em Sydney, a 6.834,00 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires).

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel