Finanças

Bolsas asiáticas fecham majoritariamente em alta após indicador chinês positivo

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta segunda-feira, à medida que investidores comemoraram mais um indicador chinês animador, mas também continuaram atentos a desavenças entre EUA e China e aos últimos números sobre a disseminação do coronavírus.

Estado de SP deve mudar critério de flexibilização

China registra recorde de casos em três meses e América Latina é a região mais afetada por pandemia

Os mercados chineses tiveram ganhos moderados: o índice Xangai Composto subiu 0,26%, a 3.205,23 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,28%, a 2.144,37 pontos. O tom positivo veio após dados oficiais mostrarem que o lucro de grandes empresas industriais da China deu um salto anual de 11,5% em junho, quase o dobro do ganho de 6% visto em maio e marcando seu maior avanço desde março de 2019.

Nas últimas semanas, a China vem, de modo geral, mostrando que se recupera em ritmo mais veloz do que se esperava da pandemia de coronavírus, que teve origem na cidade chinesa de Wuhan.

Também ficaram no azul hoje as bolsas de Seul, com alta de 0,79% do sul-coreano Kospi, a 2.217,86 pontos, e de Taiwan, onde o Taiex registrou expressivo ganho de 2,31%, a 12.588,30 pontos.

Já o índice japonês Nikkei caiu 0,16% em Tóquio, a 22.715,85 pontos, depois de ficar sem operar por dois dias em função de feriados no Japão e à medida que o iene atingiu nova máxima em quatro meses ante o dólar, e o Hang Seng recuou 0,41% em Hong Kong, a 24.603,26 pontos.

Pesam no sentimento as rixas entre EUA e China, que ganharam um novo capítulo na semana passada, quando Washington ordenou o fechamento do consulado chinês em Houston (Texas). Em retaliação, Pequim mandou que o consulado dos EUA em Chengdu também encerrasse operações, o que foi efetivado hoje. Americanos acusam os chineses de espionagem. A China, por sua vez, alega que os EUA vêm interferindo em seus assuntos internos.

O avanço do coronavírus também compromete o apetite por risco. Ontem, o número de infectados no mundo ultrapassou a marca de 16 milhões, com mais de 645 mil mortes, segundo dados compilados pela Universidade Johns Hopkins.

Na Oceania, a bolsa australiana terminou o pregão em alta, sustentado pelo indicador chinês favorável. O S&P/ASX avançou 0,34% em Sydney, a 6.044,20 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?