Economia

Bolsa inicia ano com dois IPOs no teto do preço projetado pelas empresas

Crédito: Divulgação

As duas primeiras aberturas de capital de 2020 dão o indicativo de forte demanda: as operação da construtora Mitre e da Locaweb saíram nos preços máximos projetados (Crédito: Divulgação)

A fila de empresas a para ofertas de ações na B3, a Bolsa paulista, é grande. As projeções são de um ano recorde para o mercado brasileiro de ações, que poderá movimentar até R$ 120 bilhões. Esse ânimo é reflexo da expectativa com o crescimento da economia e de um maior interesse do investidor pela Bolsa, em um cenário de taxas de juros mais baixas. As duas primeiras aberturas de capital de 2020 dão o indicativo de forte demanda: as operação da construtora Mitre e da Locaweb, de hospedagem de sites, saíram nos preços máximos projetados pelas empresas.

+ Locaweb confirma precificação em IPO em R$ 17,25, e operação movimenta R$ 1,2 bi
+ Construtora Moura Dubeux ajusta cronograma de IPO e precificação será em 11/2
+ JSL apresenta novo pedido de registro de IPO da Vamos Locação

No caso da Mitre, construtora que atua no segmento de classe média, em São Paulo, e estreia nesta quarta-feira, 5, na B3, a arrecadação foi de R$ 1,18 bilhão. Trata-se da primeira abertura de capital (IPO, na sigla em inglês) do País do ano. A companhia familiar irá usar o dinheiro que chega para a compra de terrenos e para o pagamento de custos de construção e despesas operacionais. A Mitre será listada no Novo Mercado, segmento de mais elevadas exigências de governança corporativa da B3.

Com forte demanda, a ação teve o preço definido em R$ 19,30, teto da faixa indicativa. A oferta foi lançada com investidores âncoras, tanto locais quanto estrangeiros, atraídos pelas expectativas do setor de construção no Brasil, em ambiente de juros baixos. Do total movimentado no IPO, grande parte é oriundo da oferta primária, cerca de R$ 1 bilhão – recursos que vão para o caixa da companhia, para reforçar sua estratégia de crescimento.

Nos primeiros nove meses de 2019, a Mitre apresentou receita líquida de R$ 189,8 milhões, crescimento de 65% na comparação anual, e um Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) ajustado de R$ 39,7 milhões, aumento de 96% em relação a 2018.

Mesmo com o IPO, o presidente da empresa, Fabrício Mitre, seguirá controlador da construtora, com 40% do capital. A oferta da companhia foi coordenada pelos bancos Itaú BBA, BTG Pactual e Bradesco BBI.

“A Mitre negociaria a múltiplos próximos de pares como Cyrela, ou até mesmo MRV, consideradas referência de resiliência e execução no setor”, apontou a Nord Research, em relatório. “Com a queda dos juros e a tendência de redução do desemprego, os empréstimos bancários se tornam mais atrativos, aumentando a busca por imóveis”, destacam, em relatório, Raul Grego e Carlos Daltozo, da Eleven Research.

Internet.

Com estreia programada para esta quinta-feira, 6, na Bolsa paulista, a ação da empresa de hospedagem de sites Locaweb saiu a R$ 17,25, também no topo da faixa indicativa de preço. A oferta, primária e secundária, movimentou R$ 1,2 bilhão, com demanda para a venda todos os lotes de papéis oferecidos. A Locaweb também fará parte do Novo Mercado da B3.

A maior parte da oferta da Locaweb é secundária – ou seja, os sócios estão se desfazendo de suas posições no negócio. Um deles é o fundo americano Silver Lake, de private equity (que compra participações em empresas) e concentra suas operações em companhias de tecnologia. O presidente da Locaweb, Fernando Cirne, também está entre os vendedores, assim como integrantes da família fundadora Gora.

A empresa surgiu após os primos Gilberto Mautner e Claudio Gora comprarem um servidor na Califórnia, EUA, para criar a Intermoda, portal de negócios têxteis. A ideia iniciou não vingou, e o pai de um deles, investidor e empresário, propôs aproveitar a estrutura que já estava montada para oferecer hospedagem de sites a empresas. A Locaweb começou a operar em 1998.

Do R$ 1,2 bilhão, um total de R$ 575 milhões vai para o caixa da empresa. Esse dinheiro, ainda de acordo com o prospecto da abertura de capital, será destinado para potenciais aquisições da empresa, enquanto uma parte será destinada ao reforço do capital de giro.

Nos nove primeiros meses do ano passado, o lucro líquido da Locaweb obteve R$ 11,1 milhões, mais do que o dobro dos R$ 5,5 milhões registrados no mesmo intervalo de 2018. A receita operacional líquida chegou, de janeiro a setembro do ano passado, R$ 280,5 milhões, expansão de 21,3%.

Apesar do sucesso do IPO, algumas casas de análise, como Eleven e Levante, recomendaram que seus clientes ficassem de fora da operação por considerarem que a Locaweb ainda precisa comprovar que consegue crescer significativamente no médio e longo prazos.

Os coordenadores da oferta da empresa de hospedagem de sites foram o Itaú BBA, o Goldman Sachs, o Morgan Stanley e a XP Investimentos.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Veja também

+ Caixa libera FGTS emergencial para nascidos em julho nesta segunda-feira (10)

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?