Negócios

Boeing estuda cortar 10% dos funcionários, diante de crise do coronavírus

Crédito: AFP/Arquivos

Boeing: possíveis cortes, entre os 160 mil colaboradores no mundo todo, deverão se concentrar na divisão comercial (Crédito: AFP/Arquivos)


A Boeing está considerando um plano de reduzir seu quadro de funcionários em torno de 10%, à medida que lida com os fortes efeitos adversos da pandemia de coronavírus, segundo fontes com conhecimento do assunto.

Embraer deve cortar salários e jornadas

Fitch rebaixa rating da Boeing para BBB, citando coronavírus e compra da Embraer

Os possíveis cortes na Boeing, que emprega cerca de 160 mil pessoas no mundo todo, deverão se concentrar na divisão comercial, dizem as fontes. A unidade está sob forte pressão diante da severa crise enfrentada pela indústria global de empresas aéreas.

Não há previsão de uma decisão iminente e a possível redução de 10% é um de vários cenários que estão em consideração, afirmou uma das fontes.

Na semana passada, o fabricante de aviões americano anunciou que ofereceria pacotes de demissão voluntária, mas não divulgou detalhes. A Boeing tem dito esperar que a oferta atraia vários milhares de funcionários.

A Boeing ainda não se manifestou se irá entrar com pedidos de empréstimos do governo, como parte do pacote de estímulo federal de US$ 2 trilhões aprovado no fim de março. As condições para a ajuda exigem que tomadores de empréstimos mantenham ao menos 90% da força de trabalho até o fim de setembro. Fonte: Dow Jones Newswires.