Economia

Boeing anuncia queda drástica de entregas após crise dos 737 MAX

Boeing anuncia queda drástica de entregas após crise dos 737 MAX

Aviões Boeing 737 MAX estacionados no pátio da empresa no estado americano de Washington - GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP/Arquivos

A Boeing relatou uma queda acentuada nas entregas de aeronaves comerciais nesta terça-feira (9), após a crise com seu altamente demandado 737 MAX.

A Boeing entregou apenas 90 aeronaves nos três meses encerrados em 30 de junho contra 194 (-54%) no mesmo período do ano passado, informou a gigante aeronáutica norte-americana em comunicado.

Após dois acidentes, em março a Boeing cancelou a entrega de seu modelo 737 MAX, uma aeronave que representa quase dois terços dos pedidos de compra.

A entrega de aeronaves é fundamental porque garante a receita das empresas – e esses dados são observados com muito cuidado por Wall Street.



Um 737 MAX da Lion Air e outro da Ethiopian Airlines sofreram acidentes em março que deixaram um total de 346 mortos. Desde então, todos os 737 MAXs estão sendo mantidos no solo até que a Boeing faça as correções reivindicadas pelas autoridades que regulam a aviação comercial.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel