Negócios

Boeing anuncia primeiras encomendas após incidentes do 737 Max

Americana divulgou venda de unidades do 787 Dreamliner pela Korean Air durante o segundo dia da Paris Air Show

Boeing anuncia primeiras encomendas após incidentes do 737 Max

A Paris Air Show é a maior feira do segmento no mundo e tradicionalmente é usada pelas fabricantes para anunciar as mais recentes encomendas (Pascal Rossignol/Reuters)

Após quase três meses sem novos pedidos, a Boeing anunciou nesta terça-feira (18) a encomenda de 30 unidades do 787 Dreamliner pela Korean Air, durante o segundo dia da Paris Air Show, na França. Este foi o primeiro pacote de vendas anunciado pela companhia desde os incidentes com o modelo 737 Max, em março.

A Paris Air Show é a maior feira do segmento no mundo e tradicionalmente é usada pelas fabricantes para anunciar as mais recentes encomendas. Ontem, no primeiro dia do evento, a Airbus saiu na frente ao divulgar a venda de quatro unidades do seu lançamento A321XLR para a Middle East Airlines, além de 14 unidades do A330-900 para a Virgin Atlantic e um pacote com até cem aviões para a Air Lease Corporation, incluindo 27 A321XLRs e 50 A220-300s.

A Boeing também havia anunciado a venda de 10 cargueiros 737-800 para a GE Capital Aviation Services, porém, como os modelos são feitos a partir de aviões comerciais já montados, não entram na contabilidade de novos pedidos, apesar de somarem na receita da fabricante.

A Airbus também divulgou a venda de 30 320neo, o principal concorrente do 737 Max, para a Saudi Arabian Airlines. Antes, a companhia já havia encomendado 35 unidades do modelo e adiantou que pode encomendar mais 100. A Cebu Pacific, com base nas Filipinas, também fechou acordo para comprar 31 aviões, sendo 16 A330neo, 10 A321XLR e 5 A320neo. A fabricante europeia ainda afirmou que irá converter 253 encomendas do A320neo para a versão atualizada A321neo.