Edição nº 1052 12.01 Ver ediçõs anteriores

Com aumento de queixas, Uber investe R$ 200 milhões no Brasil

Com aumento de queixas, Uber investe R$ 200 milhões no Brasil

O aplicativo americano de compartilhamento de veículos Uber anunciou, na terça-feira 17, que está investindo R$ 200 milhões em sua operação na cidade de São Paulo. A companhia abriu uma central de atendimento que deve empregar sete mil pessoas. Com isso, o Uber espera melhorar o suporte técnico em toda a operação da companhia no País, presente em 40 cidades. O movimento da empresa, comandada por Travis Kalanick, ocorre depois que a startup começou a enfrentar um aumento de reclamações de seus consumidores. Nos últimos 30 dias foram feitas mais de cinco mil queixas contra a empresa no site Reclame Aqui. No Brasil, a concorrência deve ficar mais pesada. A 99, por exemplo, acaba de receber um aporte de R$ 100 milhões da chinesa Didi Chuxing, rival do Uber.

(Nota publicada na Edição 1002 da Revista Dinheiro)


Mais posts

A aposta da Kodak nas moedas virtuais

A relação da Kodak com a tecnologia pode ser chamada de, no mínimo, esquizofrênica. Sua maior inovação nos últimos 30 anos, a câmera [...]

Métrica

1% foi quanto caiu o tempo de uso do Facebook em agosto e setembro de 2017, segundo estudo da Pivotal Research (Nota publicada na Edição 1052 da Revista Dinheiro)

Plano de voo suspenso

A GoPro, fabricante das câmeras digitais de ação Hero, anunciou que está deixando o mercado de drones, apesar do bom desempenho de [...]

Samsung marca data para Galaxy S9

A Samsung já tem data para lançar seu novo smartphone topo de linha, o Galaxy S9. Durante a CES (Consumer Electronics Show) 2018, Dj [...]

Smartphone vicia as crianças? Investidores da Apple acham que sim

Dois fundos institucionais americanos, um deles formado por uma associação de professores aposentados da Califórnia, estão pressionando [...]
Ver mais

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.