Edição nº 1057 16.02 Ver ediçõs anteriores

O IPI do vinho sobe para 10%, cai para 6% e depois para 5%

O IPI do vinho sobe para 10%, cai para 6% e depois para 5%

A partir de janeiro, o IPI será de 6% para todos os vinhos, incluindo fortificados e espumantes

Nesta quarta -feira (2), pela manhã, a comissão mista do Congresso Nacional aprovou o seu relatório sobre o aumento do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). A partir de janeiro, o imposto será de 6%, para todos os vinhos, incluindo fortificados e espumantes. 

Em 2017, o imposto cai para 5%. E neste mês de dezembro, a alíquota fica nos 10%, como previsto na medida provisória anunciada pelo governo três meses atrás. 

A MP deveria entrar em vigor no dia 1º de dezembro, mas a comissão que deveria avaliar o texto só votou seu relatório hoje cedo. Sobre o estoque, quem já teve o seu IPI pago (então de até R$ 1,08 por garrafa), ainda não há definição de como proceder. O relatório da comissão mista segue agora para votação do em plenário.


Mais posts

Jogador de futebol investe na importação de vinhos

O convite para passar uma semana no Rio de Janeiro soou como música para dez produtores franceses. E não produtores quaisquer: eram [...]

Escola de vinhos brasileira é a melhor do mundo

Paulo Brammer e Thiago Mendes são só sorrisos. Os dois amigos brasileiros, que fundaram a Enocultura há pouco mais de quatro anos, [...]

A primeira década da Enoteca

Chamada carinhosamente de Enoteca, a Enoteca Saint VinSaint está em festa. O restaurante do casal Lis Cereja e Ramatis Russo comemora [...]

Aprenda como harmonizar vinhos com os pratos de fim de ano

Na melhor definição de harmonização gastronômica, o gosto da comida e da bebida se fundem no paladar, criando um terceiro e mais [...]

Uma semana para o jerez

O jerez deve se orgulhar de seu fã clube. A bebida e seus diferentes estilos, do seco ao doce, têm uma semana exclusiva no calendário, [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.