Edição nº 1130 19.07 Ver ediçõs anteriores

De carona com a enóloga Susana Esteban

Como enóloga consultora, ela tem a oportunidade de visitar muitos vinhedos, novos e velhos. Depois de dois anos de procura, ela lançou os seus primeiros vinhos

De carona com a enóloga Susana Esteban

A enóloga Susana Esteban apresenta seus vinhos em São Paulo

O Alentejo português parece ser uma fonte infinita de inspiração para a enóloga espanhola Susana Esteban. Ela chegou na região em 2007, vinda do “rival” Douro, onde trabalhou como enóloga da Quinta do Côtto e depois da Quinta do Crasto (em Portugal, Alentejo e Douro são como São Paulo e Rio, com certa rivalidade entre as regiões). Ao se mudar para Lisboa, Susana começou com consultorias enológicas no Alentejo e não tardou para trazer maior complexidade a vinhos da região, como o Monte dos Cabaços, entre outros.

Em 2009, ela decidiu começar com um projeto pessoal, sem abandonar as consultorias. Sua ideia era elaborar vinhos de autor, diversos dos tradicionais brancos e tintos alentejanos. Como enóloga consultora, ela tem a oportunidade de visitar muitos vinhedos, novos e velhos. Depois de dois anos de procura, ela lançou os seus primeiros vinhos que, inspirados nesta saga, têm o nome de Procura.

Na safra de 2014, que em Portugal acontece no segundo semestre, Susana começou mais um novo projeto. É o Sidecar, como é chamado aquele carinho de uma roda só preso de um lado das motocicletas. A ideia de Susana é, a cada safra, convidar um enólogo não alentejano para elaborar um vinho no Alentejo. “É uma interpretação do Alentejo, por um profissional que tenha um olhar diferente”, define a enóloga. E ela segue ao lado, no sidecar.

O enólogo de estreia é o irrequieto Dirk Niepoort, que faz vinhos ícones, como o Redoma e os Portos, no Douro. Logo que ele aceitou o convite, Susana o levou para conhecer alguns vinhedos alentejanos fora do percurso tradicional. Dirk acabou escolhendo uma vinha antiga, cultivada com as uvas trincadeira e alicante bouschet, na serra de São Mamede, em Portoalegre (a região de maior altitude do plano Alentejo).

A vinificação coube a Susana, já que Dirk estava fazendo seus vinhos no Douro. Mas a enóloga diz que apenas cumpriu ordens, a partir das ideias de Dirk para o vinho. “Até foto da esteira de seleção, eu mandei”, conta ela. A esteira é onde as uvas passam e são selecionadas antes de serem vinificadas. Animado com o que viu, Dirk mandou um tonel do Mosel alemão, usado desde a década de 1950, para que Susana envelhecesse o vinho nele e o vinho ainda está lá.

O tinto ainda não tem prazo de lançamento, mas Manoel Chicau, da Adega Alentejana, que importa o vinho de Susana para o Brasil, promete trazer algumas garrafas para cá. E, enquanto o vinho amadurece, Susana guarda a sete chaves quem será o convidado para levá-la no sidecar na safra de 2015. 


Mais posts

Feira Naturebas reúne vinhos orgânicos, biodinâmicos e naturais em SP

A feira de vinhos orgânicos, biodinâmicos e naturais traz a sustentabilidade emtodas as suas etapas. Evento inicia neste fim de semana [...]

Por que o vinho entrou na pauta econômica?

Além das discussões sobre a substituição tributária, a bebida é tema do acordo bilateral entre Mercosul e União Europeia

Um vinho brasileiro natural em Nova York

Luiz Henrique Zanini apresenta o seu vinho “laranja” Era dos Ventos Peverella

Uma semana para provar vinhos

A Pró-Vinho promove a primeira edição da Semana do Vinho, quando haverá diversas promoções da bebida em todo o Brasil

A importância crescente do enoturismo

A francesa Alice Tourbier, do Les Sources de Caudalie, é o principal destaque do Invino Wine Travel Summit, que acontece nesta [...]
Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.