Edição nº 1121 17.05 Ver ediçõs anteriores

Vinhos e champanhes, por Pierre Lurton

Vinhos e champanhes, por Pierre Lurton

Pierre Lurton é diretor de enologia do Cheval Blanc e do Château D’Yquem (foto: Divulgação)

O francês Pierre Lurton tem um dos currículos mais invejados do mundo do vinho. Ele é o diretor de enologia do Cheval Blanc, um dos ícones de charmosa Saint Emilion, e do Château D’Yquem, o mais prestigiado vinho de sobremesa de Sauternes, os dois em Bordeaux.

Lurton começou com o Cheval Blanc, vinícola que o contratou em 1991. Na época, Bernard Arnault, o todo poderoso dono do grupo LVMH, ainda não tinha comprado o Cheval, o que faria no final daquela década, e Lurton, safra após safra, ia mostrando sua competência como enólogo deste respeitável château, um dos dois únicos classificados como premier grand cru classe “A” em Saint Emilion.

Com a mudança de donos, Lurton foi mantido no cargo. Em 2004, quando Arnault comprou o Château D”Yquem, o enólogo foi convidado a assumir a enologia da vinícola. Agora não lidava apenas com as uvas tintas cabernet franc e merlot, mas também com as variedades brancas semillon e sauvignon blanc e com a botrytis cinerea, o fungo que ataca estas uvas e lhe traz complexidade.Assim, há uma década, este francês apaixonado por veleiros e por riscos, dirige a enologia de dois grandes vinhos, o primeiro no estilo tinto seco e o segundo, um branco de sobremesa. Para completar o currículo, só faltaria a ele elaborar um champanhe – e o grupo LVMH tem em seu portfolio alguns dos mais conceituados espumantes franceses, como Krug e Dom Pérignon, para citar apenas dois.

Mas Lurton descarta. “Uma vez, Henry e Remi Krug me convidaram para fazer o blend. Mas o nível de acidez é muito diferente”, afirma Lurton, em uma brevíssima passagem pelo Brasil – ele passou uma noite por São Paulo, na escala de seu vôo para Mendoza, na Argentina, onde é também responsável pelo Cheval des Andes. “Elaborar vinhos e champanhes são aptidões bem diferentes”, completa ele. E conclui: “se bem que quando um champanhe é genial, ele é um grande vinho”.


Mais posts

A importância crescente do enoturismo

A francesa Alice Tourbier, do Les Sources de Caudalie, é o principal destaque do Invino Wine Travel Summit, que acontece nesta [...]

Brasil e Chile fazem acordo de equivalência para produtos orgânicos

Os dois países vão reconhecer a certificação válida no país de origem

Por que a Salton é a marca número 1 de vinho do Brasil?

Pesquisa da inglesa Wine Intelligence aponta que a vinícola é a marca de vinhos mais forte no País

Mulheres e vinho: a presença crescente das sommelières no Brasil

Annas, Gabrielas, Jô, Marias, Julianas são exemplos de mulheres que estão escrevendo a história do serviço do vinho em nosso país

Viviana Navarrete e os desafios das mulheres nas vinícolas chilenas

Principal enóloga da Viña Leyda, ela conta como venceu os desafios para chegar à liderança após muito trabalho, dedicação e perseverança,
Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.