Finanças

Black week de oportunidades

Para garantir atenção dos investidores em tempos de febre de consumo com Black Friday e compras de Natal, as instituições financeiras lançam promoções para quem deseja investir. Mas é preciso ficar atentos às condições e aos riscos

Crédito: Divulgação

RENDA FIXA Gustavo Machado, diretor de negócios digitais do ABC Brasil seleciona CDB, e LCA para atender o varejo (Crédito: Divulgação)

“O investidor precisa analisar muito bem o desconto, comparar taxas, e verificar o prazo que permanecerá na aplicação para não ter surpresas depois”, diz Tiago Reais, fundador da Suno Research. “A renda fixa (pública ou privada) perdeu muito de sua atratividade por causa da queda dos juros, e, dependendo do prazo de vencimento, tem o risco de liquidez da carteira. E, em ações, a bolsa de valores não vai exatamente para cima”, afirma Reis. No embalo da Black Friday, a casa de análise, por exemplo, está ofertando pacotes de relatórios pela internet – por um período de três anos – com descontos de até 33% para conquistar novos clientes ou fidelizar o público já assinante.

Na tradicional corretora de varejo Easynvest, que já participou de edições anteriores da Black Week de investimentos, o objetivo deste ano é ofertar produtos para pessoas começarem a investir com baixo ticket mensal. “Queremos despertar o investidor que existe em cada um de nós, muitas pessoas estavam habituadas a guardar o dinheiro apenas na poupança, e vamos mostrar que há como diversificar e com pouco dinheiro”, diz Fabio Macedo, diretor comercial da Easynvest. A corretora selecionou produtos de renda fixa (CDBs) e de previdência privada (PGBL e VGBL) com valores de entrada menores, a partir de R$ 50 para atrair potenciais poupadores.

Como estreante na temporada de promoções, o Banco ABC Brasil entra na disputa pelo público de varejo com sua plataforma digital ABC Personal, que irá oferecer letras de crédito do agronegócio (LCAs) com retornos a partir de: 100% da taxa de depósito interfinanceiro (DI) para o prazo de três meses de permanência; 103% do DI para o prazo de seis meses, e 105% do DI para permanência de um ano. Como são isentas do imposto de renda para pessoas físicas, os produtos representam taxas equivalentes para o mesmo prazo, a um CDB de 127,25%; 128,75% e 129% do CDI, respectivamente.

BUSCA DO VAREJO “São produtos com risco parecido ao dos grandes bancos (rating triplo A), e de forma promocional, com tíquete de R$ 1 mil para começarmos a participar do varejo”, diz o diretor de negócios digitais do Banco ABC Brasil, Gustavo Machado. Ele contou que a plataforma ABC Personal reúne produtos próprios e terceiros, produtos de tesouraria (títulos), debêntures e certificados de operações estruturadas (COE) sob demanda. “Nosso objetivo nessa Black Friday é mostrar que temos um banco digital completo e que temos condições de oferecer produtos ao varejo”, afirma. O ABC Brasil é conhecido como um banco de atacado.

RENDA VARIÁVEL Responsável por produtos da Terra Investimentos, Victor Menna destaca a importância de aportes em investimentos com retorno de longo prazo (Crédito:Divulgação)

A renda fixa bancária também garantiu espaço na plataforma aberta do Santander Brasil, a Pi Investimentos, que lista 3 LCAs, 1 LCI e 3 CDBs com condições específicas para a temporada. “O ticket é baixo para esses produtos, R$ 1 mil, com rentabilidade entre 100% do DI (6 meses) e 134% do DI (5 anos), dependendo do prazo. São LCAs, LCIs e CDBs de risco muito baixo”, diz Gabriel Mallet, especialista da Pi. Questionado sobre o cenário de juros baixos no mercado, ele respondeu que muitos investidores, principalmente de perfil conservador, preferem a segurança de aplicações cobertas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). “E a renda fixa sempre vai ter uma parcela importante nas carteiras”, afirma.

ATENÇÃO AOS PRAZOS Entre as iniciativas mais ousadas, a corretora Toro Investimentos resolveu pagar R$ 200 para quem aportar R$ 5 mil em uma letra de câmbio (LC) com taxa de remuneração de 126% do DI e prazo de 3 anos. Vale novamente lembrar que todas as aplicações em títulos de captação bancária ou financeira como CDBs, RDBs, LFs, LCIs, LCAs e LCs possuem prazo de permanência definidos, ou seja, o investidor precisa esperar a data de vencimento para resgatar o valor principal e os juros acumulados. “A poupança praticamente só manter o poder de compra. Mas existem outras boas formas de se investir. A pessoa também tem que se preocupar em acumular patrimônio e não apenas no consumo imediatista. A mensagem é de consumo consciente”, diz Rafael Panonko, chefe de análise da Toro.

Ainda na área de renda fixa, o Banco Inter, por meio de sua plataforma aberta (PAI) selecionou LCIs e CDBs para aportes até 4 de dezembro. Quem investir a partir de R$ 100 em LCIs 720 dias (2 anos) e 1080 dias (3 anos) receberá respectivamente 98% e 100% do CDI, rentabilidade máxima disponível. Já os CDBs de 1080 dias a 1440 dias (4 anos) pagarão entre 116% e 125% do CDI, de acordo com o produto escolhido.

A corretora Terra Investimentos, no passado mais focada no mercado de derivativos de commodities, participa nessa edição da Black Week para divulgar o segmento de renda variável. A instituição seguiu a tendência de seus concorrentes e zerou taxas para aplicação em fundos de investimentos imobiliários (FIIs), Exchange Trade Funds (ETFs, os fundos listados em bolsa) e em carteiras de ações. “Vamos aproveitar o momento para subsidiar o cliente com educação financeira e destacar a importância de investir para o longo prazo”, diz Victor Menna, responsável pelos produtos da Terra Investimentos.


BTG Pactual paga por precatórios

Divulgação

Numa estratégia diferente dos demais competidores no mês da Black Friday, o BTG Pactual está adquirindo títulos, e não ofertando. O orçamento é de até R$ 300 milhões para a compra de precatórios, apenas para os créditos oriundos da plataforma Precatórios Brasil. Com essa iniciativa, só na primeira quinzena de novembro, o BTG Pactual já negociou um volume três vezes maior que no mesmo período de outubro. Até 6 de dezembro, o BTG Pactual deverá pagar até 25% a mais nas negociações desses direitos, avaliando caso a caso. A nova plataforma permite ao BTG Pactual viabilizar operações de menor tíquete, um mercado até então inexplorado pelos grandes bancos. Precatórios são requisições de pagamento expedidas pelo Judiciário e servem para cobrar o Governo (União, estados, municípios, autarquias e fundações) o pagamento de valores devidos após condenação judicial.