Compras

Black Friday: 6 jeitos de evitar ser roubado(a) no e-commerce

Crédito: Agência Brasil / Arquivo

E-commerce: o canal de vendas que faz a festa dos hackers (Crédito: Agência Brasil / Arquivo)

A Black Friday, você sabe, pode ser a Black Fraude. Com preços atrativos e descontos que ganham os olhos do consumidor no primeiro olhar, é preciso ter cuidado para não cair em uma roubada e entrar para a estatística de clientes que foram vítimas de propagandas enganosas e roubo de dados.

Por isso, é preciso redobrar a atenção no evento deste ano, marcado para o dia 27 de novembro, já que com a pandemia as compras se darão mais nas plataformas digitais do que nas lojas físicas. A dica desta nota gira em torno da segurança e idoneidade dos sites ao lidarem com os seus dados pessoais.

+ Franquias aderem à Black Friday e lançam promoções para novos empreendedores
+ Companhias aéreas fazem esquenta da Black Friday com ofertas pontuais
+ Magazine Luiza promete desconto de até 80% em Black Friday antecipada

“O mercado consumidor migrou boa parte de suas compras para a internet e, segundo pesquisa da TracyLocke, 83% dos consumidores irão comprar em lojas online caso tenham o melhor preço. Por isso, é muito importante estar atento a segurança cibernética para não perder as promoções”, disse por nota Luciano Oliveira, diretor geral da Open Technology Real Services (OTRS) Brasil e Portugal.

Veja a seguir seis dicas organizadas pela OTRS que podem te ajudar a se proteger nesta Black Friday.

1 – Compre utilizando sistemas operacionais e aplicativos atualizados

Tanto faz se a compra for feita por meio de PCs, smartphones ou tablets, a recomendação é fazer em um ambiente seguro, como em casa, e não em um local público, como um café, que pode ter uma rede desprotegida. Também é importante comprar apenas com um dispositivo final que tenha o sistema operacional e aplicativos mais recentes com as devidas atualizações de segurança. Afinal, se o sistema for vulnerável a malware, as outras medidas de segurança também não serão capazes de proteger os compradores.

2 – Procure certificados e selos de aprovação

Existem selos de confiança de vários fornecedores que falam pela segurança correspondente de uma loja online, como “Norton verificado” ou “BBB + credenciado”. No entanto, lembre-se de que essas são apenas imagens que os criminosos cibernéticos podem roubar e usar, portanto, continue investigando o site antes de decidir comprar.

Os certificados SSL, reconhecidos pelo “símbolo de cadeado” na barra de URL, provam que o servidor realmente corresponde à loja virtual apropriada. Para garantir isso, o navegador verifica se o certificado corresponde ao URL do site, se é válido e se foi assinado por uma autoridade confiável.

Para ficar no lado seguro, você só deve comprar de comerciantes on-line conhecidos ou por meio de aplicativos populares. No caso de lojas menos conhecidas, existe o risco de que tenham acabado de ser estabelecidas e nem sempre sejam capazes de fornecer imediatamente os serviços de segurança desejados.

3 – Use uma senha segura para cada loja online

Não é incomum que criminosos tentem obter senhas, além de informações de contas, para comprar mercadorias às custas de terceiros ou para usar indevidamente os dados do cartão de crédito para outros fins. Portanto, certifique-se de usar uma senha diferente e segura para cada loja online.

4 –  Não clique em ofertas por e-mail

Os chamados e-mails de phishing trazem ofertas especiais que parecem vir de comerciantes online. Sites como a Amazon ou outros conhecidos têm sua página copiada criminosamente e podem parecer muito semelhantes. Esse fenômeno se tornou ainda mais evidente a partir da crise da covid-19 com o aumento das vendas online. Para ter certeza de que isso não é um golpe, você não deve clicar no link do e-mail, mas ir diretamente para a página da loja online e verificar a veracidade da promoção.

5 – Escolha um método de pagamento seguro

Na hora do pagamento, certifique-se de escolher processos seguros. Você pode aprovar o pagamento diretamente no aplicativo ou ter um número de transação segura enviado para o seu telefone celular em um SMS, para proteger os pagamentos online com cartão de crédito.

Outra possibilidade, que já é praticada em vários países, é a utilização de códigos de pagamentos digitais exclusivos. No aplicativo bancário, os consumidores podem gerar um código exclusivo, instantâneo, para ser usado no lugar do número do cartão de crédito ao pagar compras online. Este código expira após a compra. Portanto, mesmo que os hackers obtenham o código, eles não poderão mais usá-lo para fazer compras.

6 – Confirmação do recebimento de um pedido

O comprador também deve se certificar de que os produtos estão descritos e especificados exatamente antes de comprar. Cuidado com muitas críticas positivas; elas também podem ser falsas. O consumidor deverá sempre ter o recebimento do pedido confirmado por escrito pelo comerciante online para ter segurança em caso de eventuais problemas. Além disso, a data de entrega deve ser mencionada no recibo do pedido. Se a mercadoria não chegar a tempo, surpresas desagradáveis podem ocorrer.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel