Finanças

Bitcoin tem queda de 16%, após atingir o recorde de US$ 33.670

Crédito: Pexels

A redução interrompe um rali  de alta, que começou em 2020 e levou o bitcoin a superar marcas históricas de 2017, ano em que chegou a encostar em US$ 20 mil (Crédito: Pexels)

Após atingir a marca histórica de US$ 33.670, o bitcoin opera em forte queda nesta segunda-feira (4). A criptomoeda chegou a recuar 16% na manhã desta segunda.

Por volta das 15h55, a desvalorização diminuiu e a moeda estava cotada US$ 31.205, com queda de 4,92%. A redução desta segunda-feira interrompe um rali  de alta, que começou em 2020 e levou o bitcoin a superar as marcas históricas de 2017, ano em que chegou a encostar nos US$ 20 mil.

+ Bitcoin ultrapassa US$ 30 mil pela primeira vez na história
+ CEO da MicroStrategy sugere que Elon Musk invista em bitcoin

Em dezembro de 2020, o criptoativo ultrapassou este preço pela primeira vez na história e seguia em alta desde então.

O avanço do bitcoin está relacionado à expectativa de que a moeda poderia significar uma proteção contra a inflação, especialmente neste momento em que os governos mundiais liberam estímulos para suas economias.

Aliado a isso, a forte tomada de risco nos mercados globais desde novembro, com a confirmação da eleição de Joe Biden para a presidência dos Estados Unidos e os resultados dos testes de fase 3 de diferentes vacinas contra a covid-19, também favoreceu o fluxo de compra da criptomoeda.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel