Geral

Bitcoin tem alta de 10% em meio ao temor nos mercados internacionais

Endurecimento da guerra comercial entre EUA e China e ampliação dos protestos em Hong Kong fizeram bitcoin chegar a US$ 11.755.19, o maior valor desde 13 de julho

Bitcoin tem alta de 10% em meio ao temor nos mercados internacionais

O bitcoin teve altas históricas nos últimos meses, impulsionado principalmente pela divulgação da Libra, a criptomoeda capitaneada pelo Facebook

O bitcoin subiu mais de 10% nesta segunda-feira (5), em meio ao endurecimento da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China e ampliação dos protestos em Hong Kong, um dos principais centros financeiros globais. Às 11h10min de hoje, a criptomoeda era cotada a US$ 11.755.19, o maior valor desde 13 de julho, segundo o CoinDesk. O índice representa 70% do valor total do mercado de moedas virtuais.

A valorização do bitcoin contrasta com a queda no mercado financeiro mundial desde a retomada da disputa comercial entre EUA e China, na última semana. Hoje, o governo central chinês estabeleceu 1 yuan em 7 dólares pela primeira vez em 11 anos, criando temor de um possível guerra cambial entre os dois países.

Analistas afirmaram à CNBC que a alta indica uma pretensão dos analistas enxergarem a moeda virtual como um ativo seguro e estável. “O bitcoin tem muitos casos de uso e um dos mais importantes é como uma forma de ouro digital”, disse Charles Hayter, CEO da plataforma de comparação de moedas digitais CryptoCompare.

O bitcoin teve altas históricas nos últimos meses, impulsionado principalmente pela divulgação da Libra, a criptomoeda capitaneada pelo Facebook, em junho. A moeda virtual chegou a valer mais de US$ 13 mil, após um acumulado de baixas no ano passado. Para analistas mais otimistas, o bitcoin ainda pode voltar aos índices de US$ 20 mil registrados no fim de 2017.