Estilo

Beyoncé assume controle da grife Ivy Park

Cantora compra totalidade da marca da qual era acionista depois que o sócio, o varejista Philip Green, foi acusado de assédio sexual e injúria racial

Beyoncé assume controle da grife Ivy Park

No passo da moda: Beyoncé veste a roupa da grife em campanha de divulgação da marca em 2016

A cantora americana Beyoncé acaba de adquirir controle total da Ivy Park, grife de roupas esportivas da qual ela detinha 50% desde a fundação, em 2016. A outra metade pertencia à rede varejista Topshop, do Arcadia Group, cujo presidente, Philip Green, sofreu acusações de injúria racial e assédio sexual em outubro passado. “Depois de quase um ano de discussões, a Parkwood adquiriu 100% da marca Ivy Park”, declarou a grife em comunicado. A Parkwood Entertainment, fundada pela cantora em 2008, é a empresa gestora de todos os negócios dela. O valor da compra não foi revelado, mas a grife vem se somar ao portfólio empresarial da cantora no segmento de moda, que já conta a marca House of Déreon, criado em 2006. O nome Déreon é uma homenagem à avó de Beyoncé (Agnèz Deréon), conhecida estilista da Louisiana, nos Estados Unidos. Já o nome Ivy Park é uma referência à filha dela, Blue Ivy.

O segmento de esporte de lazer atendido pela marca vem ganhando musculatura nos últimos tempos e hoje é responsável por 24% das vendas totais da indústria de vestuário no mundo, segundo o The NDP Group, empresa de pesquisa global de mercado. Até 2020, a estimativa é que movimente US$ 292 bilhões. Apesar da expectativa de lucros crescentes, o rompimento com a Topshop pode causar problemas para a grife. “Aparentemente é mais uma tentativa de salvar a marca, contaminada pelas polêmicas envolvendo Philip Green, do que uma decisão de negócio”, diz Alberto Serrentino, sócio-fundador da Varese Retail. “Sem um canal de distribuição como a Topshop, a empresa vai recomeçar do zero.”

Império em queda: as acusações de assédio contra Philip Green, dono do Arcadia Group, tem piorado resultados já ruins

A Ivy Park, que chegou a vender mais que a linha da Rihanna para a Puma, já vinha tendo problemas antes mesmo antes das acusações contra Green. Especialistas em varejo contam que as roupas nunca tiveram a saída esperada e o próprio empresário defendia a retirada da grife da rede. “É hora de a Ivy Park encontrar seu próprio espaço. Ela parece fora de lugar na Topshop”, disse ele em 2017. De acordo com a Companies House, agência de registro de empresas do governo britânico, o Grupo, que é dono da Topshop e de outras sete marcas, registrou prejuízo de £ 10,9 milhões em 2017. Beyoncé tem uma fortuna estimada em US$ 1,3 bilhão e mais de 120 milhões de seguidores nas redes sociais. Seu sucesso na música, porém, não é garantia de que ela poderá mobilizar recursos humanos e financeiros para fazer a Ivy Park enfim decolar.