Edição nº 1134 19.08 Ver ediçõs anteriores

Bem-estar contra o turnover

Healthtech pioneira no País, a Vidalink tem crescido acima de 45% ao ano desde 2015 com uma proposta inédita na saúde corporativa: aumentar a adesão ao tratamento médico dos funcionários por meio do subsídio em medicamentos. A ideia já atraiu cerca de 200 clientes, entre os quais Embraer, IBM e Telefonica. Depois de receber aportes da CVS Health, maior empresa de saúde do mundo, e do Grupo Martins, líder do setor atacadista, a Vidalink quer agora se consolidar como uma “well tech”, oferecendo coberturas que vão desde o acesso a produtos saudáveis até um “coach virtual” para dar suporte a tratamentos de saúde mental. Tudo por meio de um app. “Nosso objetivo é fazer com que o plano de bem-estar seja um dos benefícios corporativos mais valorizados pelos RHs no Brasil”, afirma o CEO Luis Gonzalez. Segundo dados obtidos junto a 900 mil usuários da própria Vidalink, o turnover é, em média, 27% menor nas empresas que subsidiam ao menos 60% das despesas com o bem-estar dos colaboradores.

(Nota publicada na Edição 1130 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Que tiro foi esse?

Se existe um presidente de empresa feliz da vida no Brasil, esse é Salesio Nuhs, CEO da fabricante de armas Taurus. As vendas cresceram [...]

Do turismo ao imóvel

O empresário Valter Patriani, cofundador da agência de viagens CVC, ao lado de Guilherme Paulus, vendeu recentemente sua participação [...]

A moda do cacau saudável

No início de 2017, surgiu no mercado a Dengo Chocolates, marca do empresário Guilherme Leal, cofundador da Natura, com a proposta de [...]

Tudo que reluz

O mercado de gemas e metais preciosos defende uma simplificação dos tributos que incidem sobre as joias, com a Reforma Tributária. Por [...]

Na carona dos investimentos

A Valemobi, empresa de tecnologia para o mercado financeiro, vai apostar no TradeMap, uma plataforma digital que se propõe a conectar [...]
Ver mais