Economia

BCE: riscos de retirada precoce de estímulos são maiores do que os de mantê-los

O vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis de Guindos, disse nesta quarta-feira (14) que os riscos de se retirar os atuais estímulos monetários de forma prematura são maiores do que os de mantê-los em vigor. Desde o ano passado, o BCE tomou uma série de agressivas iniciativas para proteger a economia da zona do euro dos efeitos da pandemia de covid-19, incluindo cortes de juros e compras de ativos. Guindos, que discursou ao Parlamento Europeu para apresentar o relatório anual do BCE referente a 2020, reiterou também que a instituição está pronta para ajustar todos os seus instrumentos de política monetária, conforme for apropriado.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel