Economia

BC da Rússia mantém juro em 4,25% pelo 2º mês seguido

O Banco Central (BC) da Rússia decidiu manter sua principal taxa de juros em 4,25% pelo segundo mês consecutivo, após concluir reunião de política monetária nesta sexta-feira. Em comunicado sobre a decisão, o BC russo avalia que a inflação doméstica está se comportando em linha com suas projeções e deverá ficar entre 3,9% e 4,2% no fim do ano.

A autoridade monetária reiterou previsão de que a inflação na Rússia irá desacelerar para 3,5% a 4% em 2021, antes de se estabilizar em torno de 4%, o que corresponde a sua meta oficial. O BC russo também avaliou que a situação nos mercados financeiros e de commodities permanece vulnerável em meio ao agravamento da pandemia do novo coronavírus.

A instituição reafirmou ainda que considerará a “necessidade de mais reduções da taxa básica em futuras reuniões”. O próximo encontro está marcado para 18 de dezembro.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

Tópicos

BC juros Rússia