Economia

BC da Rússia mantém juro básico em 4,25%, deixando porta aberta para novos cortes

O Banco Central da Rússia decidiu nesta sexta-feira (18) manter sua principal taxa de juros em 4,25%, após reduzi-la a mínimas recordes por três vezes consecutivas, com o argumento de que a inflação doméstica superou um pouco as expectativas nos últimos meses em meio à recuperação que se segue ao choque do coronavírus – e de que o rublo russo tem se enfraquecido ante o dólar.

Em comunicado, porém, o BC russo alertou que riscos desinflacionários prevalecem no médio prazo, uma vez que o ritmo de retomadas das economias global e russa irá desacelerar.

A autoridade monetária prevê que a inflação na Rússia ficará entre 3,7% e 4,2% em 2020 e na faixa de 3,5% a 4% em 2021, antes de se estabilizar em torno de 4%, que corresponde a sua meta oficial.

O BC russo disse ainda que considerará a “necessidade de mais reduções da taxa básica em suas próximas reuniões”. O próximo encontro está marcado para 23 de outubro.

Veja também

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

Tópicos

BC juros Rússia