Negócios

BB inicia parcerias com empresas de créditos de carbono



O presidente do Banco do Brasil, Fausto Ribeiro, anunciou nesta quarta-feira, 18, parcerias e novos produtos do banco voltados aos chamados créditos de carbono, emitidos para empresas que reduzem suas emissões de gases causadores do efeito estufa. De acordo com ele, o banco fará a intermediação destes ativos, e permitirá a seus clientes investir neles.

Os anúncios foram feitos durante o evento Mercado Global de Carbono, promovido pelo BB e pela Petrobras nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro.

“A partir de hoje, iniciamos projetos e parcerias com grandes empresas, startups e climatechs do mercado de créditos de carbono, que possibilitarão ao banco a atuação em diversas frentes”, afirmou Ribeiro.

De acordo com o BB, as parcerias são com a Ecosecurities, a Carbon Next, a Future Carbon, a Biofílica e a Moss. As companhias atuam no mercado de crédito de carbono tanto no Brasil quanto em outros países.



Ribeiro afirmou que a primeira ação do banco a partir das parcerias será apoiar os clientes no desenvolvimento e originação de projetos que gerem créditos de carbono. “Somos o grande financiador do agronegócio e muito desses clientes poderão rentabilizar suas florestas que excedem a reserva legal”, disse ele.

Ainda de acordo com o executivo, o BB vai intermediar esses créditos, conectando geradores destes ativos a potenciais compradores, para viabilizar negócios. Adicionalmente, lançará um fundo de investimento para que todos os seus clientes possam investir em créditos de carbono, o que, de acordo com ele, vai aumentar a liquidez do mercado e oferecer possibilidades de investimento neste mercado.

“A partir de agora, está disponível o primeiro fundo BB destinado a projetos de créditos de carbono, o BB Multimercado Crédito de Carbono, onde colocaremos um aporte inicial de R$ 2 milhões e benchmark de R$ 50 milhões até o final do ano”, comentou o executivo.


O fundo estará atrelado à variação dos preços no mercado global de créditos de carbono, disse ele.

O BB também deve assinar, durante o evento, acordos com o Banco Mundial e a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), para a captação de valores que serão destinados a projetos com adicionalidade socioambiental, disse Ribeiro.

O banco pretende ainda buscar uma aceleração no processo de geração de créditos de carbono, para trazer pequenos produtores a esse mercado, e abrir aos clientes a possibilidade de que façam doações à Fundação Banco do Brasil através do aplicativo da instituição.