Barcelona sem carro

Barcelona sem carro

O projeto das superquadras de Barcelona, que restringe a circulação de carros em determinadas áreas da cidade, será ampliado. Estão previstas a criação de cinco novas superquadras, ou superilles, em espanhol, até 2018.

Iniciado em setembro do ano passado, em uma área de nove quadras no bairro de PobleNou, o programa inclui, além do bloqueio de veículos, a instalação de parques, quadras esportivas e até palcos para atividades culturais nas áreas delimitadas. Nessa nova fase, ele deve consumir investimentos de € 10 milhões.

(Nota publicada na Edição 1008 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Apoio a quem tem deficiência intelectual

Especializada em produtos gourmet à base de pimentas, a empresa Sabor das Índias encontrou uma forma de incentivar seus clientes a [...]

Hope faz lingerie com tecido biodegradável

Pesquisa de mercado realizada pela Hope, empresa famosa por fabricar lingeries, mostrou que 170 toneladas de lixo têxtil por ano são [...]

Confiança no mercado fotovoltaico

Devido à crise gerada pela pandemia de coronavírus, algumas expectativas das empresas poderão não se cumprir, mas isso não faz com que [...]

Livro gratuito no Kindle

O professor e coordenador do Centro ESPM de Desenvolvimento Socioambiental (CEDS) e vencedor do Prêmio Jabuti 2019, Marcus Nakagawa, liberou o acesso gratuito do seu mais novo livro, 101 Dias com Ações mais Sustentáveis para Mudar o Mundo. O propósito é incentivar a leitura, mudar os velhos hábitos e incentivar as pessoas a ficar em […]

Quarentena deixa o ar mais limpo

Ao obrigar todo mundo a entrar em quarentena, o combate ao coronavírus tem seu lado positivo e trouxe de volta imagens que gerações [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.