Giro

Bandidos armados invadem terminal de cargas da Latam em aeroporto no Rio

Dois dias após um assalto causar caos e terminar em morte no terminal de cargas de Viracopos, em Campinas (SP), bandidos armados invadiram o terminal de cargas da companhia aérea Latam no Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio. O episódio ocorreu na manhã deste sábado, 19, e está sendo investigado pela Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC). Segundo a Polícia Civil, “depoimentos estão sendo tomados e as diligências sendo realizadas”. A polícia não confirmou informações sobre vítimas ou reféns.

Em nota, a Latam Cargo Brasil informou que está colaborando com as autoridades responsáveis nas investigações.

As informações sobre o assalto ainda são desencontradas. Segundo funcionários que trabalham no galpão da Latam ouvidos pela TV Globo, os criminosos estavam em três carros e passaram por uma revista no porta-malas, mas haviam escondido pistolas e fuzis. Após entrarem no local, por volta das 10h30, eles teriam anunciado o assalto e chegado a deitar funcionários no chão. Os bandidos teriam levado três caminhões com cargas.

Já a concessionária RIOGaleão relata apenas “tentativa de assalto” no terminal de cargas doméstico da companhia aérea. “A equipe de segurança do terminal frustrou a ação dos bandidos, que não conseguiram levar a carga pretendida”, informou em nota.

Em Viracopos, os assaltantes trocaram tiros com seguranças e assaltaram a transportadora de valores Brinks na manhã da última quinta-feira(17). Houve confronto, pânico na rua e fuga com reféns durante a ação, que terminou com três bandidos mortos. Dois seguranças da empresa também foram baleados. A Brinks informou que a maior parte do dinheiro foi recuperada pela polícia. O aeroporto ficou fechado por 20 minutos para pousos e decolagens.

Uma mulher de 37 anos, que ficou refém de um criminoso durante o assalto ao aeroporto de Viracopos e foi ferida durante ação da Polícia Militar que matou o assaltante, está em estado que “inspira cuidados” em um hospital de Campinas.