Economia

Banco Mundial nega ajuda a El Salvador para implementar bitcoin

Crédito: AFP/Arquivos

O Banco Mundial se recusou a fornecer a El Salvador a assistência técnica solicitada para implementar o bitcoin como moeda com curso legal no país. (Crédito: AFP/Arquivos)

O Banco Mundial se recusou a fornecer a El Salvador a assistência técnica solicitada para implementar o bitcoin como moeda legal no país, disse um porta-voz da organização nesta quinta-feira (17).

“Estamos comprometidos em ajudar El Salvador de várias maneiras, inclusive para transparência de câmbio e processos regulatórios. Embora o governo nos tenha procurado para obter ajuda com o bitcoin, isso não é algo que o Banco Mundial possa apoiar, dadas as deficiências ambientais e de transparência”, afirmou o porta-voz em um comunicado.

O ministro das Finanças salvadorenho, Alejandro Zelaya, anunciou na quarta-feira que o governo do presidente Nayib Bukele havia solicitado “assistência técnica” do Banco Mundial para implementar e regulamentar o uso dessa criptomoeda.

+Adolescente usou dinheiro da avó para comprar bitcoins e aos 18 virou milionário



+Bitcoin pode sofrer a maior queda da sua história nos próximos meses

+O bitcoin pode destruir um país?

Em 9 de junho, o Congresso de El Salvador, controlado pelo partido no poder, se tornou o primeiro no mundo a aprovar uma lei para adotar o bitcoin como moeda legal. A medida, que entrará em vigor em setembro, visa impulsionar a economia do país, que está dolarizada há 20 anos.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou um dia depois sobre os riscos da decisão de El Salvador.

“A adoção do bitcoin como moeda legal levanta uma série de problemas macroeconômicos, financeiros e legais que requerem uma análise muito cuidadosa”, disse o porta-voz do FMI Gerry Rice.

Nesse mesmo dia, os representantes do FMI mantiveram uma reunião virtual com Bukele, no âmbito do diálogo iniciado em abril sobre a possibilidade de obter um novo empréstimo para o país centro-americano.

O ministro salvadorenho da Fazenda garantiu nesta quarta-feira que o resultado da conversa com o FMI a respeito do bitcoin foi “exitoso”.

“Eles entenderam, nos dizem ‘não somos contra, só queremos medir os impactos e os efeitos que isso pode ter’, e quando falamos sobre isso falamos também sobre o positivo”, explicou Zelaya em entrevista coletiva.

A lei aprovada pelo Congresso salvadorenho estipula que “todo agente econômico deve aceitar o bitcoin como forma de pagamento”.

Bukele, promotor da medida, afirma que isso vai contribuir para a banca da população e evitar perder “milhões de dólares” na intermediação no envio de remessas de salvadorenhos do exterior.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago