Giro

Balanço de terremoto na Turquia sobe para 114 mortos, com fim das buscas por sobreviventes

Balanço de terremoto na Turquia sobe para 114 mortos, com fim das buscas por sobreviventes

Equipes de resgate retiram a menina Ayda Gezgin, de 4 anos, dos escombros de edifíco em Izmir 91 horas depois do terremoto - AFP

O número de mortos no terremoto de sexta-feira ocorrido no oeste da Turquia aumentou para 114, anunciaram as autoridades nesta quarta-feira(4).

O terremoto de magnitude 7 também deixou 1.035 pessoas feridas, 137 das quais ainda estão hospitalizadas, segundo a autoridade do governo turco para situações de desastre (Afad).

Além disso, os primeiros socorristas interromperam seus esforços de busca por possíveis sobreviventes ou vítimas, enquanto as autoridades começaram a limpar os destroços, declarou a Afad.

A cidade mais atingida é Bayrakli, na província de Izmir, onde uma menina de três anos foi resgatada na terça-feira após passar 91 horas sob os escombros.

Dezenas de prédios foram destruídos ou seriamente danificados pelo terremoto que deixou mais de 5.000 desabrigados, esses que agora estão em tendas montadas em acampamentos improvisados na província de Izmir.

Cerca de 1.855 tremores secundários foram registrados na área, 46 de magnitude superior a 4, de acordo com as autoridades turcas.

O terremoto também matou duas pessoas na ilha grega de Samos.

A Turquia é frequentemente sacudida por terremotos e, em 1999, um de magnitude 7,4 atingiu o noroeste do país, causando mais de 17.000 mortes, das quais 1.000 aconteceram em Istambul.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel