Economia

Avanço da pandemia fez venda de gasolina cair 16,4% entre 1º e 20 de abril

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

Até chegar ao consumidor final, o combustível sofre acréscimos relativos a impostos (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)

O aumento das medidas de isolamento social por causa do avanço da pandemia de covid-19 no País causou forte impacto nas vendas de gasolina, que caíram 16,4% entre 1º e 20 de abril ante igual período do ano passado, segundo dados do Ministério de Minas e Energia.

Já o diesel teve vendas 6,4% maiores na mesma comparação, o que deve aumentar a necessidade de importação do combustível, avalia o consultor de petróleo e gás da StoneX, Thadeu da Silva.

+ Empresas abrem oportunidades para trabalhar com blockchain e criptomoedas
+ Vale avalia cisão e IPO de metais básicos; avança na venda de ativos de carvão

“Não consegue refinar só um derivado, ou seja, falta diesel e sobra gasolina porque não tem mais onde estocar, vai precisar de muito importado esse mês”, explica Silva.



Com paradas de manutenção em algumas refinarias da Petrobras, e a queda de consumo de gasolina pelo isolamento social, as refinarias da estatal estão trabalhando em níveis próximos ao pior período da pandemia no passado.

No dia 25, o fator de utilização médio das unidades da companhia foi de 60,4%, ou seja, quase 40% de ociosidade.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago