Economia

Auxílio emergencial pode ser estendido em 2021, caso haja segunda onda no Brasil

Crédito: Reprodução/Caixa Econômica Federal

Ministro disse que foram digitalizados 64 milhões de brasileiros e isso permite saber quem são, onde estão e o que precisam para sobreviver (Crédito: Reprodução/Caixa Econômica Federal)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta terça-feira (10) que se o País for atingido por uma segunda onda da covid-19, assim como está ocorrendo em países da Europa, o auxílio emergencial pode voltar a ser pago à população no ano que vem.

Segundo informações da Folha, o ministro disse que, se houver uma segunda onda, o País já tem mecanismos para atender aos que mais precisarem. Foram digitalizados 64 milhões de brasileiros e isso permite, conforme o ministro, saber quem são, onde estão e o que precisam para sobreviver.

+ EUA: secretário de saúde espera começar vacinação em massa contra covid em março
+ Mundo recebe com esperança anúncio de vacina eficaz contra covid-19

Vale lembrar que atualmente os benefícios são pagos por meio da digitalização, com depósito em contas virtuais da Caixa.



Ainda de acordo com a Folha, o ministro disse que os gastos com a covid-19 seriam mais baixos no caso de uma segunda onda, porque seria possível filtrar os excessos e usar valores menores.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel