Economia

Auxílio emergencial diminuiu porque não há mais como se endividar, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro se defendeu mais uma vez das críticas pela redução do valor do auxílio emergencial de R$ 600 para R$ 250 em 2021. “Diminuiu porque não tem mais como se endividar”, justificou na manhã desta terça-feira (20), em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

Ele também voltou a dizer que o Bolsa Família receberá reajuste de pelo menos 50% até novembro. Em seguida, disparou contra seu principal antagonista nas pesquisas eleitorais, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). “O pessoal já esqueceu tudo o que o Lula e a Dilma fizeram contra o Brasil? O Haddad ficou 12 anos no Ministério da Educação e só fez besteira”. disparou.

Os levantamentos de institutos de pesquisa têm revelado desgaste da popularidade de Bolsonaro perante o eleitorado. O presidente também criticou o posicionamento de Lula em relação às manifestações populares em Cuba, onde, segundo Bolsonaro, “tem jovens morrendo pela liberdade”. “Aqui no Brasil tem jovens loucos para perder a liberdade”, disse.



Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago