Economia

Autonomia do BC deve ser analisada pela Câmara após Previdência, diz deputado

O líder do Novo na Câmara, deputado Marcel Van Hattem (RS), afirmou nesta quarta-feira, 26, que a Casa pode começar a analisar o projeto de autonomia do Banco Central (BC) após a aprovação da reforma da Previdência. Pela manhã, ele e outros 21 deputados, incluindo o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), participaram de um café da manhã com o presidente da instituição, Roberto Campos Neto.

Na reunião, o chefe do BC apresentou sua agenda de projetos de interesse no Congresso.

Segundo Van Hattem, o foram apresentadas as prioridades, mas Campos Neto deixou claro que quem decidirá sobre o que será votado primeiro é o Parlamento. “Os menos complexos tendem a ser apreciados antes em virtude da reforma da Previdência e os mais complexos, como o da autonomia, mesmo que já tenham hoje uma maioria formada, têm também uma minoria muito empedernida contra. Então podem ficar para mais tarde”, disse ao Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

A autonomia do Banco Central é tida como a principal proposta da instituição junto ao Legislativo neste momento. Como mostrou o Broadcast mais cedo, Maia acredita que já há votos favoráveis suficientes para colocar a proposta na pauta, no entanto, ele pediu que os líderes de partidos levem a questão a seus deputados.

No encontro desta quarta-feira, também houve a confirmação de que o deputado federal Celso Maldaner (MDB-SC) será o relator da proposta de autonomia na Câmara.

Além da autonomia, Campos Neto citou dentre os projetos o que trata da Lei de Resolução Bancária, do plano de redução de spreads no cheque especial e no rotativo, e da simplificação cambial.