Artigos

Aung San Suu Kyi foi condenada, mas uma nova resistência nasce em Mianmar(analistas)

Aung San Suu Kyi foi condenada, mas uma nova resistência nasce em Mianmar(analistas)

A líder birmanesa deposta Aung San Suu Kyi durante reunião em Sydney, Austrália em 18 de março de 2018 - POOL/AFP/Arquivos

O exército de Mianmar espera que a prisão da ex-líder birmanesa Aung San Suu Kyi sufoque definitivamente sua influência e a de seu partido, mas uma nova, às vezes violenta, resistência à Junta está ganhando força no país, segundo analistas.



Dez meses após o golpe militar que derrubou o governo de Suu Kyi em 1º de fevereiro, a vencedora do Prêmio Nobel da Paz de 1991 foi condenada a dois anos de prisão na segunda-feira por incitar a desordem pública e violar as regras sanitárias.

“Essas são penalidades muito leves que o regime poderia perdoar, mas optou por não fazê-lo”, explica o cientista político Soe Myint Aung, que mora em Mianmar.

“Os militares parecem ter redobrado os esforços em uma abordagem muito opressora” contra Aung San Suu Kyi e seu partido, a Liga Nacional para a Democracia (NLD), disse o analista.

A sentença despertou preocupação e desaprovação da comunidade internacional.

+ O economista Paulo Gala revela os caminhos para investir bem em 2022



Suu Kyi enfrenta ainda outras acusações (sedição, corrupção, fraude eleitoral) que podem custar-lhe 15 anos de prisão.

Sua detenção em 1º de fevereiro levou ao fim de um hiato democrático de dez anos no país, após mais de meio século de regime militar.

Nas últimas semanas, outros membros do NLD foram condenados a duras penas de prisão.

Um ex-ministro foi condenado este mês a 75 anos de prisão e um amigo próximo de Suu Kyi terá de passar 20 anos na prisão.

– Enigma político –

“Afastar Aung San Suu Kyi e finalmente destruir seu partido parece com um episódio final”, disse à AFP o analista independente David Mathieson, que trabalhou para várias organizações das Nações Unidas.

Mas eles também podem ter aberto a caixa de Pandora, diz Mathieson: “Pode ter (a junta) criado uma força política mais determinada do que Aung San Suu Kyi para acabar com o regime.”

A ex-líder birmanesa continua muito popular em seu país, apesar das críticas externas por ter compartilhado o poder com os generais e por não ter defendido a minoria rohingya.

Depois de ouvir a sentença, os habitantes de Yangon saíram às ruas na segunda-feira batendo panelas. Uma prática tradicional para afastar os maus espíritos que tem sido usada desde fevereiro para expressar insatisfação com o poder.

No entanto, apenas algumas imagens de Aung San Suu Kyi, divulgadas pela mídia estatal, foram vistas. Seus advogados estão proibidos de falar com a mídia.

Para muitos manifestantes, Suu Kyi e seu partido não são mais capazes de acabar com o décadas de poder dos militares sobre Mianmar.

Alguns especialistas dizem que centenas receberam treinamento de combate em áreas controladas pelos rebeldes, uma tática de resposta ao poder militar muito diferente do princípio de não violência que Suu Kyi prega.

Por outro lado, um governo paralelo, dominado por deputados do partido de Aung San Suu Kyi e retaliado pela Junta, declarou uma “guerra popular defensiva” contra o regime.

Embora a Junta afirme querer organizar novas eleições, meses de repressão sangrenta deixaram pouco espaço para o tipo de compromisso entre o LND e os militares que caracterizou o governo da ex-líder.

Muito provavelmente, o LND continuará a existir como uma ferramenta para acabar com os golpistas, contando com a mobilização da resistência civil e armada contra os generais, diz Mathieson.


Saiba mais
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ Andressa Urach pede dinheiro na internet: ‘Me ajudem a pagar a fatura do meu cartão’
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto