Geral

Áudios mostram coronel diretor do Colégio da PM do Amazonas assediando alunas

O diretor do Colégio da Polícia Militar do Amazonas, coronel Eddie César de Souza Cordeiro, foi afastado do cargo após ser acusado de assediar alunas por meio de áudios e conversas de WhatsApp. Os arquivos estão circulando em redes sociais.

Redes sociais

“Eu tenho um carinho especial por você, sim, também. Apesar de que você me atrai, você, assim, desperta um tesão, mas eu não sou um animal, não, selvagem, que só pensa em sexo”, diz um dos áudios atribuídos ao coronel.

Em outro, o coronel teria dito. “Aceito o acordo, tá? Eu pago para sair só eu e você essa semana que entra e depois a gente faz o nosso ménage, eu, você e ela. Te deixo livre para ti fazer o que quiser com ela. Aí a gente transa, eu, você e ela. Bora?”

Com a palavra, a Polícia Militar do Amazonas

A Polícia Militar do Amazonas informou que “apura a veracidade de mensagens trocadas por meio de um aplicativo de mensagens instantâneas, nas quais um diretor de um dos colégios militares da PMAM apresenta supostamente conduta inadequada”.

“O oficial foi afastado das suas funções de diretor da unidade de ensino e que, durante o processo de apuração será respeitado o direito à ampla defesa e contraditório”, afirmou a corporação, em nota.

Leia a transcrição dos áudios enviados pelo coronel

“Eu sou homem suficiente para assumir as consequências dos meus atos. Quando eu estiver junto com você, quando a gente estiver conversando numa boa, eu vou te contar um pouco da minha história. Eu não sou um homem covarde, não, de jeito maneira, tá? Eu assumo toda e qualquer consequência das minhas ações, decisões, atitudes. Eu e ela nós fizemos foi maravilhoso, foi muito gostoso, certo? Pena que foi só uma vez. Mas se tivesse acontecido, não teria problema algum, entendeu?”

“Nada, nada. Isso daí não tem problema, não. Eu tenho curiosidade, poxa. Eu fiquei afim de ti e gosto da Vanessa. Com isso, eu propus e ela aceitou, entendeu? Bora curtir eu e você?”

“Eu não sou nem um doente, não, para ti ficar tão preocupada com a tua amiga. Até porque já falei que eu me cuido e se rolou, porque a gente estava afim. Não aconteceu nada mais, nada menos do que isso. Tua amiga tá bem, tá saudável, não tá grávida. A menstruação dela tá regular, certo? Tá normal, fica tranquila, cara, fica numa boa aí.”

“Aceito o acordo, tá? Eu pago para sair só eu e você essa semana que entra e depois a gente faz o nosso ménage, eu, você e ela. Te deixo livre para ti fazer o que quiser com ela. Aí a gente transa, eu, você e ela. Bora?”

“Não pode nem dizer isso, até porque não me conhece, entendeu? Mas eu tenho um carinho especial por você, sim, também. Apesar de que você me atrai, você, assim, desperta um tesão, mas eu não sou um animal, não, selvagem, que só pensa em sexo. Eu gosto de fazer sexo, transar, gosto. Mas isso é apenas um aspecto da minha vida que eu tenho de positivo. Gay eu não sou.”

“Eu fico tão feliz quando tu se manifesta dessa maneira, cara, entendeu? Eu fui criado no catolicismo, na Igreja Católica, eu sou cristão, certo? Gosto da Igreja Evangélica, certo? Amo tudo o que ele nos ensina e eu acredito que uma oportunidade que você tiver em sentir o que é, o que são as coisas boas e verdadeiras, sem passar por ninguém, sem prejudicar ninguém, você vai ver o quanto é importante nós termos em nossa vida um Deus verdadeiro. Então, ninguém é perfeito, cara, ninguém é perfeito, tá? Ninguém é santo, ninguém é puxa-saco, ninguém é puxa-saco. Somos apenas dependentes de Deus, só isso, somente isso.”

“Assim, é um desejo meu, né? Um gosto meu, nunca fiz isso e eu acho que deve ser muito bom, um sexo a três, certo? Eu me agradei de você, pedi dela e ela aceitou, certo? Foi isso.”