Giro

Atletas paralímpicos brasileiros retornam a disputas na Europa

Os atletas paralímpicos Alessandro Rodrigo da Silva, do lançamento de disco e arremesso de peso, e Michel Gustavo, do salto em distância, embarcam na próxima quinta-feira (17) para a Alemanha. O objetivo da dupla é participar, nos dias 19 e 20, do Meeting Internacional de Freital (Alemanha).

“Nossa equipe já tem um histórico bem interessante de participações em meetings de paratletismo. Mas a falta de competições na América do Sul, pelo menos até o final de 2020, pode ser um problema para ambos. Alessandro já tem vaga garantida nos Jogos Paralímpicos, então o foco é recolocá-lo em ritmo de competição. Já o Michel busca fazer o índice para Tóquio, e tem treinado forte para isso, já tendo condições de alcançar essa meta na Alemanha. Porém, o mais importante nessa disputa em Freital vai ser manter os dois bem colocados no ranking mundial”, declarou Guto Nascimento, técnico dos atletas em Taubaté, interior de São Paulo.

Alessandro da Silva (classe F11, para deficientes visuais) já está classificado para os Jogos de Tóquio em duas provas, inclusive no lançamento de disco. O atleta tem um currículo que o coloca como um dos postulantes a uma medalha no ano que vem. Ele foi medalhista de ouro nos Jogos Paralímpicos de 2016 (Rio de Janeiro) e bicampeão em Parapans, em 2015 (Toronto) e 2019 (Lima), bicampeão Mundial, em 2017 (Londres) e 2019 (Dubai), além de ser o atual recordista mundial da prova com a marca de 46,10 metros.

No próximo final de semana, ele espera conseguir avaliar melhor seu atual momento: “Treinei muito nesses meses em casa. Tentei manter o foco, mas é claro que, naturalmente, o rendimento cai, por não haver um objetivo real e pelo treinamento não ser completo. Porém, nos treinos que fiz nas últimas semanas, as marcas foram razoáveis, me deixariam entre os três primeiros do mundo no ranking mundial. Este é o foco principal neste momento da temporada. Atingindo no mínimo 13,20 metros no arremesso de peso e 43 metros no lançamento de disco, já sairei da Europa bem feliz”.

“Como ele é deficiente visual, toda a referência espacial acabou se perdendo, então nosso objetivo é colocá-lo em ritmo de competição, mas estamos bastante prejudicados pela falta de treinos no setor oficial de lançamento de disco do nosso local de treino. Porém, acredito que ele consiga se sair bem”, diz o técnico Guto Nascimento.

Já o objetivo do saltador Michel Gustavo (classe T47, para deficientes de membros superiores) é atingir o índice de 7,15 metros, marca que garante a estreia do brasileiro em Jogos Paralímpicos no ano que vem. A melhor marca da carreira dele é 6,99 metros, obtida no início de 2019.

“Minha expectativa é a melhor possível nesse meeting. Muito pela consciência de ter feito um bom trabalho durante a pandemia, treinando de forma adaptada, com 90% dos trabalhos sendo feitos em casa. Os demais treinos busquei realizar em parques e espaços abertos. Apesar dessas adversidades, me sinto hoje em ótima forma física e acredito que trarei um bom resultado da Alemanha”, concluiu.

Veja também

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+Conheça os 42 anos de história da picape Mitsubishi L200

+ Remédio barato acelera recuperação de pacientes com covid-19

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?