Tecnologia

Athletico Paranaense toma calote e encerra projeto de criptomoedas

A empresa chegou a estampar uniformes de jogo e receber banners no site oficial do time, porém agora não há mais menção a empresa, que é sediada em Hong Kong

Athletico Paranaense toma calote e encerra projeto de criptomoedas

O Athletico Paranaense anunciou em julho de 2018 a criação de um criptomoeda própria em parceria com uma empresa Inoovi, responsável pelo token IVI. Porém a novidade teve vida curta, e segundo informações da Gazeta do Povo, o clube terminou a parceria após não receber os pagamentos e receber um calote dos pagamentos programados.

A empresa chegou a estampar uniformes de jogo e receber banners no site oficial do time, porém agora não há mais menção a empresa, que é sediada em Hong Kong. Já no site da Imovi, o Athletico continua figurando como um dos parceiros – com imagens do logo antigo – e uma foto do presidente do clube, Mario Celso Petraglia ao lado do presidente da companhia. Nenhuma das partes se pronunciou sobre o assunto.

Na época do acordo, especialistas avisaram de um susposto amadorismo da empresa por conta do site mal formatado e da reputação zero da Imovi no universo das criptomoedas. O portal especializado no assunto, Guia do Bitcoin fez um editorial alertando clubes do suposto golpe do token IVI. O Corinthians foi outra equipe que anunciou parceria com a empresa, mas rapidamente abandonou a parceria.

Atualmente o IVI está cotado em apenas US$ 0,001 e sua maior alta foi após o anúncio de acordo com o Athletico.