Até quando você pretende viver?

Estava em Brasília e fiquei surpreso quando ouvi a pergunta do título acima. Respondi que, embora seja uma pessoa superdisciplinada, algumas coisas não temos como controlar e que acredito que o tempo de vida de cada um é determinado por Deus. Em seguida indaguei: Mas por que essa pergunta?

Então minha interlocutora, a dra. Nise Yamaguchi – paranaense como eu e uma das médicas mais renomadas do Brasil, respondeu: Acabei de completar 60 anos e estou me programando para viver mais 60 anos.

Desde que ouvi suas palavras, essa afirmação habita meus pensamentos. Lamentavelmente, muitas pessoas,ao atingir seus 60 anos, pensam: Já vivi o suficiente! Não espero mais nada da vida e não vejo hora de me aposentar. Já estou pronto para partir dessa para outra.

Por outro lado, essa admirável senhora nos dá uma lição de otimismo, cidadania e de valorização da vida. Ela justifica sua programação mental dizendo que a saudabilidade, o bem-estar e a qualidade de vida são,em primeiro lugar, uma questão de escolha. Depois ressalta que a longevidade é uma tendência mundial. As pessoas estão valorizando cada vez mais a reeducação alimentar e atividades físicas. Simultaneamente,as descobertas tecnológicas na área médica estão cada vez mais avançadas. O conjunto destes fatores nos leva a aceitar a sugestão da dra. Nise e a acreditar que, de fato, podemos nos programar emocional e fisicamente para termos uma vida mais longa de que nossos antepassados.

A reflexão acima me ajudou a começar o ano novo com uma nova atitude mental, uma renovação de anseios e uma perspectiva de vida mais ampla. Encerro este texto com a mesma pergunta: E você, até quando pretende viver?

Desejo desde já que você possa fazer os ajustes necessários em seu dia a dia, para assim, desfrutar de uma vida mais abundante e plena.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel


Sobre o autor

Carlos Wizard Martins, 64 anos, é empresário, controlador do Grupo Sforza Holding, escritor e empreendedor social.


Mais colunas e blogs


Mais posts

Educação: seu melhor investimento

Certa vez, na inauguração de uma universidade nos Estados Unidos, o reitor ao discursar concluiu com essa frase: “Toda dedicação, [...]

Capital intelectual e financeiro para novos negócios

Tudo começou quando o empresário Ricardo Bellino, que reside atualmente em Portugal, me convidou para promover um encontro nas redes [...]

O não faz parte do sim!

Certa vez havia um rapaz sem formação acadêmica, profissão definida ou perspectiva profissional. Como estava desempregado, aceitou o [...]

Uma inspiração divina

Há 30 anos procurei meus amigos com uma pergunta: “Estou pensando em abrir uma escola de inglês. O que vocês acham?” A resposta me [...]

O preço do sucesso

A maior parte das pessoas gostaria de falar inglês sem estudar; gostaria de tocar o piano sem praticar. Alguns jovens gostariam de ser atletas sem treinar. Outros gostariam de ter o peso ideal sem fazer exercícios e cuidar da alimentação. E por fim, muitos gostariam de prosperar sem pagar o preço do sucesso. A diferença […]

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.