Ciência

As melhores frases de Stephen Hawking

As melhores frases de Stephen Hawking

O astrofísico britânico Stephen Hawking, que morreu nesta quarta-feira, aos 76 anos, conquistou tanta popularidade que sua opinião sobre qualquer tema era objeto de atenção - Getty/AFP/Arquivos

O astrofísico britânico Stephen Hawking, que morreu nesta quarta-feira, aos 76 anos, conquistou tanta popularidade que sua opinião sobre qualquer tema era objeto de atenção. Seguem abaixo algumas de suas melhores frases:

– “Somos apenas uma estirpe avançada de macacos em um planeta menor de uma estrela muito comum. Mas podemos entender o universo. Isto nos torna muito especiais”.

(Entrevista à revista alemã Der Spiegel, 1988)

– “Minhas expectativas se reduziram a zero quando tinha 21 anos. O restante foi um presente”.

(Entrevista ao New York Times, dezembro de 2004)

– “Acredito que o desenvolvimento pleno da inteligência artificial poderia significar o fim da raça humana”.

(Entrevista à BBC, 2014)

– “Vivo com a perspectiva de uma morte precoce há 49 anos. Não tenho medo de morrer, mas também não tenho pressa”.

(Entrevista ao jornal britânico The Guardian, maio de 2011)

– “Ninguém pode resistir à ideia de um gênio aleijado”.

(Entrevista à revista americana Time, setembro de 1993)

– “Pessoas que se vangloriam de seu QI são perdedoras”.

(Entrevista ao New York Times, dezembro de 2004)

– “Se os extraterrestres nos visitarem algum dia, acredito que o resultado será parecido a quando Cristóvão Colombo desembarcou na América, um resultado nada positivo para os nativos”.

(Documentário “Into the Universe”, The Discovery Channel, 2010)

– “A cruz de minha celebridade é que não posso ir a lugar algum sem ser reconhecido. Não basta colocar óculos escuros e uma peruca. A cadeira de rodas me entrega”.

(Entrevista a um canal de TV israelense, 2006)

– “Encontrar a resposta para isto seria o grande triunfo da razão humana, porque então conheceríamos a mente de Deus”.

(Sobre o motivo da existência do universo, em seu livro “Uma Breve História do Tempo”, 1988).

– “Há uma diferença fundamental entre a religião, que se baseia na autoridade, e a ciência, que se baseia na observação e na razão. A ciência vencerá, porque funciona”.

(Entrevista ao canal americano ABC, junho de 2010).