Economia

Arrecadação em agosto soma R$ 146,463 bilhões, alta real de 7,25%

A arrecadação de impostos e contribuições federais somou R$ 146,463 bilhões em agosto. O resultado representa um aumento real (descontada a inflação) de 7,25% na comparação com o mesmo mês de 2020.

Em relação a julho deste ano, houve queda real de 15,22% no recolhimento de impostos. O valor arrecadado no mês passado foi o maior para meses de agosto da série histórica, que tem início em 1995.

O resultado das receitas veio dentro do intervalo de expectativas das instituições ouvidas pelo Broadcast Projeções, que ia de R$ 124,50 bilhões a R$ 156,574 bilhões, com mediana de R$ 145,20 bilhões.

No acumulado do ano até agosto, a arrecadação federal somou R$ 1,199 trilhão, também o maior volume para o período da série iniciada em 1995. O montante ainda representa um avanço real de 23,53% na comparação com os primeiros oito meses do ano passado.



Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km