Armani investidor

Armani investidor

O lendário estilista italiano se tornou um dos principais acionistas da Luxottica, o maior grupo de óculos de luxo do mundo e dono de marcas como Ray-Ban e Oakley. A empresa divulgou os acionistas com participação superior a 3%. Dentre eles, está Armani, com 4,64% das ações. O controle está com a holding Delfin, de Leonardo Del Vecchio.

(Nota publicada na Edição 1029 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ Receita abre consulta a segundo lote de restituição de IR, o maior da história
+ Homem encontra chave de fenda em pacote de macarrão
+ Baleias dão show de saltos em ilhabela, veja fotos!
+ 9 alimentos que incham a barriga e você não fazia ideia
+ Modelo brasileira promete ficar nua se o Chelsea for campeão da Champions League
+ Cuide bem do seu motor, cuidando do óleo do motor
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança


Mais posts

Promoção de ouro

A Vivara está com algumas das suas mais belas peças em promoção. Uma ótima dica é o anel Morganita, confeccionado em ouro rosé 18 [...]

Diversão (e saúde) em alto mar

A Virgin Voyages está se preparando para receber seus clientes ansiosos para voltar a viajar em dias de pós-pandemia. E, com alguns [...]

O carro elétrico de três rodas

A companhia canadense ElectraMeccanica acaba de anunciar que já começou a produzir o que está chamando de “o carro do futuro”. O Solo, [...]

Guerlain, uma das mais antigas e respeitadas casas de perfumes do mundo traz novo perfume Extreme

Fundada em 1828, a Guerlain é uma das mais antigas e respeitadas casas de perfumes do mundo. Todo seu conhecimento e tradição aparecem [...]

É o barco do Batman?

A Brabus conquistou reconhecimento mundial com carros de luxo turbinados. Depois, vieram as embarcações. Seu mais novo modelo é uma [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.