Edição nº 1088 21.09 Ver ediçõs anteriores

Argentinos vão a campo

Argentinos vão a campo

Os argentinos já deixaram os gramados da Copa do Mundo da Rússia, mas no campo do agronegócio os hermanos estão animados como nunca. Basta olhar para os números da seguradora portenha Sancor. Fundada há sete décadas, a companhia está no Brasil há cinco anos, e faturou R$ 291 milhões no ano passado. O maior crescimento tem sido no agronegócio, cujo faturamento avançou 209% nos últimos três anos. O foco tem sido na região Sul do Brasil, mas a companhia agora pretende expandir suas atividades para o interior paulista. Segundo Leandro Poretti, diretor-geral da companhia no Brasil, a seguradora deve iniciar as atividades em breve na região de Ribeirão Preto.

(Nota publicada na Edição 1077 da Revista Dinheiro, com colaboração de: Claudio Gradilone, Luana Meneghetti e Pedro Arbex)


Mais posts

“O País está dividido e isso é muito ruim”

Luiza Helena Trajano, presidente do conselho de administração da rede Magazine Luiza, é uma das vozes mais ativas do empresariado [...]

O novo passo da Bibi

Presente em mais de 70 países, via distribuidores e redes multimarcas, a Calçados Bibi está dando mais um passo em sua [...]

Próxima parada: Rio de Janeiro

Há dois meses no mercado, a Veloe, empresa criada pela Alelo, do Banco do Brasil e do Bradesco, voltada para o mercado de pedágios e [...]

Minha rede, minha vida

O empresário Flávio Augusto da Silva, fundador da rede de idiomas Wise Up, dono do time de futebol Orlando City e da plataforma [...]

Fome de crescimento

Os investimentos de Carlos Wizard Martins no setor de alimentação vão ganhar um novo impulso. Tocada por seu filho Lincoln Martins, a [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.