Política

Araújo diz não ver razões políticas para atraso de vacinas e insumos da China

O ex-chanceler Ernesto Araújo descartou que os atrasos para importação ao Brasil de insumos vindos da China aconteçam por razões políticas. Apesar de o país asiático e aliado na produção de vacinas no Brasil não apontar que essa seja a causa para a demora na remessa de ingredientes necessários para a produção de imunizantes, os atrasos coincidem com ataques do presidente Jair Bolsonaro, ou pessoas próximas do Planalto, ao país.

“As alegações de que haveria uma negativa do governo chinês de permitir o fornecimento de vacinas ou insumos por razões políticas pressupõe algo que eu acredito que o governo chinês não é capaz: de negar vacinas que podem salvar vidas por causa de uma interferência política”, afirmou Araújo durante depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado. “Isso pressupõe uma imagem ruim da China com a qual eu não concordo e não temos indício nenhum de que tenha havido essa interferência política”.

O ex-chanceler alegou também desconhecimento sobre outros pontos que podem ter atrasado o início e continuidade da vacinação no País. Araújo afirmou não saber de “nenhuma interferência” dos Estados Unidos para que o Brasil não fizesse a importação de doses da vacina Sputnik V, de origem russa, e disse não ter recebido nenhuma orientação para que rejeitasse parcerias sobre vacinas.

Sobre as revelações feitas pelo ex-secretário de Comunicação do Planalto e empresário Fábio Wajngarten, Araújo disse que teve ciência da oferta de 70 milhões de vacinas por intermédio do embaixador brasileiro em Washington. Segundo o ex-chanceler, além da representação, nenhum membro do governo o procurou para tratar do comunicado.



Queda de patentes

Ernesto Araújo também disse na CPI que, durante sua gestão no Ministério das Relações Exteriores, sua posição com relação à quebra de patentes de vacinas contra covid-19 sempre foi favorável ao consenso da Organização Mundial do Comércio (OMC). O ex-ministro destacou que outras economias emergentes também tiveram a mesma posição.

Segundo o Araújo, no ano passado havia o entendimento que a proposta da Índia sobre a quebra de patentes das vacinas não avançaria devido à resistência dos Estados Unidos. Questionado, Araújo negou que essa falta de posicionamento teria atrapalhado a relação do País com a Índia na obtenção de vacinas contra covid-19.

O relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL), também questionou Araújo sobre o papel do Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), presidente da Comissão de Relações Exteriores, e do assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Filipe Martins, na condução da política internacional brasileira. Segundo Araújo, os dois atuaram dentro das atribuições de suas funções. Araújo também afirmou que é possível que em alguma reunião sobre vacinas Felipe tenha dado opinião sobre o tema, mas voltou a destacar que o fez dentro de suas atribuições.

Viagem a Israel

A comitiva chefiada por Araújo a Israel também entrou na pauta dos questionamentos dos senadores. Segundo o ex-chanceler, a missão surgiu de uma conversa entre o presidente Bolsonaro e o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

Na avaliação de Araújo sobre a missão, os dois medicamentos que motivaram a viagem a Índia tiveram testes promissores, afirmando que o governo brasileiro procurou se antecipar na formação de cooperações que permitam o acesso a medicamentos para possível tratamento contra a covid-19.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago