Giro

Arábia Saudita e Paquistão assinam acordos para estreitar laços

Arábia Saudita e Paquistão assinam acordos para estreitar laços

O príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman durante uma entrevista com o Middle East Broadcasting Center (MBC) na capital Riade em foto divulgada pelo Palácio Real Saudita em 27 de abril de 2021 - Saudi Royal Palace/AFP

A Arábia Saudita e o Paquistão assinaram acordos no sábado (sexta-feira, 7, no Brasil) para melhorar seus laços, após meses de relações tensas entre esses aliados próximos na disputada região da Caxemira.

Embora o reino saudita tenha sido o primeiro país estrangeiro que o primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan, visitou após sua eleição em 2018, Riade parecia frustrada com Islamabad no ano passado.

E embora a rica nação tenha apoiado o Paquistão com bilhões de dólares em ajuda e empréstimos nos últimos anos, observadores dizem que o reino também não quer incomodar a Índia, um importante parceiro de negócios e importador de petróleo saudita.

O príncipe herdeiro saudita, Mohammed Bin Salman, e Khan, que chegaram na sexta-feira para uma visita de três dias, mantiveram conversas nas quais enfatizaram “a importância de expandir e intensificar os horizontes de cooperação”.

A agência de notícias estatal do país acrescentou que representantes de ambos os países assinaram dois acordos na cidade de Jeddah, no oeste do país, que abordam o tratamento de criminosos e do crime.

Eles também aprovaram dois memorandos de entendimento sobre o combate ao tráfico de drogas; além do financiamento de projetos de energia, infraestrutura, transporte, água e comunicações.

+ Jaguar Land Rover: a luta contra a falta de confiança dos consumidores

As nações concordaram ainda em estabelecer um conselho superior de coordenação.

Durante sua viagem, Khan – que já visitou o país seis vezes, a última delas em dezembro de 2019 – focará em melhorar os laços com Riade e nas necessidades dos cerca de 2,5 milhões de paquistaneses que trabalham na Arábia Saudita.

No ano passado, o reino recuperou 1 bilhão de dólares de um empréstimo de 3 bilhões para o Paquistão, e uma linha de crédito de petróleo multibilionária para Islamabad não foi renovada, contou uma fonte diplomática à AFP em setembro.

Antes disso, o Paquistão havia rejeitado os apelos para enviar tropas terrestres para apoiar a conturbada campanha militar liderada pelos sauditas contra os rebeldes houthis do Iêmen.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel