Negócios

Apple terá que responder a processos de privacidade nos EUA envolvendo Siri

Crédito: Arquivo / Reuters

O juiz Jeffrey White afirmou que os reclamantes podem tentar provar que a Siri rotineiramente grava suas conversas (Crédito: Arquivo / Reuters)

(Reuters) – Um juiz federal nos Estados Unidos afirmou nesta quinta-feira que a Apple precisa responder a processos de uma ação coletiva alegando que a sua assistente de voz Siri viola a privacidade dos usuários.

O juiz Jeffrey White afirmou que os reclamantes podem tentar provar que a Siri rotineiramente grava suas conversas privadas por causa de ativações acidentais e que a Apple divulgou essas conversas para terceiros, como anunciantes.

Assistentes de voz geralmente reagem quando donos de celulares usam palavras chave como “Hey, Siri”.

+ Apple oferece pequena concessão para afrouxar regras da App Store a Netflix e outros



Um usuário da Siri afirmou que suas discussões privadas com um médico sobre um novo tratamento cirúrgico fez com que ele recebesse anúncios direcionados para aquele tratamento, e outras duas pessoas afirmaram que suas discussões sobre tênis da marca Air Jordan, óculos de sol Pit Viper e Olive Garden levaram-nos a receber anúncios desses produtos.

“A Apple responsabiliza os reclamantes por não alegarem o conteúdo das suas comunicações, mas apenas a configuração privada é suficiente para mostrar que havia uma expectativa razoável de privacidade”, escreveu White.

O juiz afirmou que os reclamantes podem alegar que a Apple violou a lei federal de escutas e a lei de privacidade da Califórnia, e cometeu violação de contrato. Ele rechaçou a denúncia de concorrência desleal.

A Apple não respondeu de imediato a pedidos por comentário. Advogados dos reclamantes não responderam imediatamente a pedidos similares.

Em julho, outro juiz na Califórnia disse que usuários do assistente de voz do Google, representados pelos mesmos escritórios de advocacia do caso da Apple, poderiam seguir com um processo similar contra o Google.

A Amazon está envolvida em um litígio similar por causa da sua assistente de voz Alexa.

Veja também
+ Como podcasts podem ajudar na educação financeira do brasileiro
+ Mistério: mulher descobre que não é a mãe biológica de seus próprios filhos
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km