Edição nº 1117 18.04 Ver ediçõs anteriores

Apple quer telas maiores e melhores

Apple quer telas maiores e melhores

Há cerca de duas semanas, a Apple anunciou o seu novo pacote de serviços, incluindo TV por assinatura e um cartão de crédito. A aposta em serviços mostra que a empresa deixou de ser dependente de lançamentos cujas vendas não responde mais como antes. Mas a Apple não perderia facilmente seu DNA por produtos. De acordo com a gestora chinesa de investimentos TF International Securities, a empresa americana trabalha para lançar em breve telas maiores, com melhor definição da imagem e cores mais vivas, a nova geração de mini-led. As informações foram coletadas de empresas que fornecem as peças para a gigante americana. Os monitores terão novo design, enquanto o tamanho do visor do ipad vai crescer. A novidade deve
chegar ao mercado até o começo de 2021.

(Nota publicada na Edição 1116 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Primeiras impressões do Galaxy Fold

O smartphone dobrável da Samsung deve ser lançado dia 26 deste mês (não no Brasil), uma sexta-feira, ao preço de US$ 1.980 (cerca de R$ [...]

Metadados para prever quem morre em “GOT”

Esta nota contém spoiler. Uma equipe da Universidade Técnica de Munique (TUM) desenvolveu um algoritmo para prever quem vai morrer na [...]

Europa aprova projeto de Direito Autoral na internet

Uma controversa proposta para garantir que artistas e editores de notícias sejam pagos por suas produções na era digital foi aprovada [...]

140 milhões

É o número de smartphones vendidos na Índia em 2018, a nova aposta global após estagnação da China (Nota publicada na Edição 1117 da Revista Dinheiro)

Como o brasileiro passa seu tempo digital

(Nota publicada na Edição 1117 da Revista Dinheiro)
Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.