Apple faz trimestre histórico

Apple faz trimestre histórico

Era esperado. E ainda assim surpreendeu. A Apple anunicou na quarta-feira (27) o resultado de seu trimestre encerrado no fim de dezembro de 2020. As receitas bateram recorde histórico e quebraram a barreira dos US$ 100 bilhões – com folga. O faturamento foi de US$ 111,4 bilhões. Isso significa uma variação positiva de 21% sobre o mesmo trimestre de 2019.

Parte do resultado é creditado ao chamado novo superciclo de iPhones, quando as vendas dos aparelhos explodem porque os usuários estão atulizando os modelos antigos. O último superciclo havia acontecido em 2014, com o iPhone 6. Deta vez, apenas a receita com as vendas da linha iPhone 12, a primeira com recursos 5G, somaram US$ 65,6 bilhões.

Além disso houve aumento na demanda por iPads e Mac, impulsionados pela legião de estudantes e trabalhadores que ficaram em home office durante a pandemia. Isso tudo levou à receita bilionária. Ela equivale a US$ 1 milhão no tempo em que você levou para ler esta nota (com Victoria Ghiraldi).

(Nota publicada na edição 1207 da Revista Dinheiro)



Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km


Sobre o autor


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.